Home»VIDA»SOCIEDADE»Morrem 2000 meninas por dia na Índia

Morrem 2000 meninas por dia na Índia

A ministra indiana para o Desenvolvimento Infantil Maneka Gandhi, disse numa entrevista ao canal de televisão NDTV que, por dia, cerca de 2000 bebés do sexo feminino são abortadas ou mortas à nascença naquele país

Pinterest Google+

Numa entrevista ao canal de televisão NDTV, transmitida esta segunda-feira, a ministra indiana para o Desenvolvimento Infantil Maneka Gandhi revelou que todos os dias são mortas 2000 meninas na Índia, ainda antes do nascimento ou imediatamente após.

“Há 2000 mil raparigas que são mortas no ventre. Algumas nascem e são imediatamente sufocadas com almofadas”, declarou na entrevista.

O infanticídio feminino não é uma surpresa na Índia, uma sociedade altamente patriarcal onde as filhas são consideradas indesejáveis. Este problema é histórico e cultural. As raparigas são vistas como um fardo porque ainda prevalece o sistema de dote, em que os pais de raparigas têm de apresentar um dote à família do noivo.

O governo na ministra Narendra Modi lançou em janeiro deste ano a iniciativa “Beti Bachao, Beti Padhao” (Salve a Filha, Eduque a Filha), que pretende reforçar as leis contra a determinação do sexo antes do nascimento e garantir o acesso à educação para as raparigas.

O governo explica que houve um aumento do número de meninas a serem admitidas em orfanatos, o que a ministra explica como sendo um passo positivo na transformação da forma de pensar da sociedade indiana, pois representa uma transição entre “matar e abandonar”.

Um estudo de maio de 2011 do jornal médico “Lancet” descobriu que foram feitos cerca de 12 milhões de abortos de meninas na Índia desde 1981, segundo informações divulgadas pela agência Reuters.

Por Joana de Sousa Costa

Artigo anterior

Família de yogis faz sucesso nas redes sociais

Próximo artigo

Sandra Bullock é a mulher mais bonita de 2015