Home»VIDA»CARREIRA»Mobbying: inferno no trabalho

Mobbying: inferno no trabalho

Os abusos podem acontecer sem que ninguém no local de trabalho se aperceba e tornam-se mais evidentes quando passam por insultos verbais, gestos obscenos ou até mesmo agressão física. Conheça um caso verídico.

Pinterest Google+

O fenómeno tende a verificar-se em empresas que promovem ativamente a competição entre funcionários, «uma vez que é mais fácil controlar funcionários assustados do que gerir funcionários determinados», diz o psicólogo. Uma das áreas profissionais mais propícia a este tipo de acontecimento é a comercial. As profissões que estão diretamente dependentes do cumprimento de objetivos de vendas podem aumentar o grau de insegurança do funcionário, culminando muitas vezes em atitudes pejorativas para os colegas ou em pressão maldosa por parte do empregador.

 

No caso de Mariana, licenciada em Marketing e Publicidade, a jovem esteve em silêncio total durante cinco anos: «Sempre me calei e nunca disse nada por ele ser meu superior. Levava os problemas todos para casa e desabafava com os meus pais e com o meu namorado. No início, eles diziam para ignorar, mas depois começaram a aconselhar-me a falar e a dizer o que sentia para ele não achar que era alguma burra…», partilha Mariana enquanto revive na sua memória estes momentos com alguma frustração.

 

Veja a galeria: Saiba se tem uma inteligência acima da média

 

Esta história teve um final feliz. Um dia Mariana cansou-se e fez-se ouvir e disse tudo o que tinha entravado nas cordas vocais há meia década. A discussão foi «feia» e foi durante a mesma que se demitiu e se viu livre finalmente do inferno em que vivia.

 

O mobbing não deve acontecer. Ninguém tem o direito de inferiorizar o outro para seu bel-prazer. Nuno Cristiano de Sousa aconselha a que, em contexto de trabalho, não se deixe de partilhar a visão que se tem sobre as várias questões de forma assertiva e não se deve aceitar comportamentos abusivos. Perante uma situação de abuso, «não se deve ter medo de defender a própria posição», declara.

 

Veja a galeria: A vantagem de ter amigos no trabalho

 

«Ninguém se deve sujeitar a uma coisa desta. Ninguém! Ninguém merece ficar doente psicologicamente por este tipo de pessoas que pensam ter todo o poder na mão e na realidade não valem nada, mas só estão bem a rebaixar os outros», termina Mariana.

 

Talvez não seja do conhecimento comum, mas existem leis que protegem o trabalhador e visam combater a perseguição laboral, no entanto, a fiscalização não é suficiente e a maioria das vezes as vítimas não têm conhecimento dos seus direitos ou têm receio da retaliação das chefias, caso se tentem defender legalmente. É possível apresentar queixa à Atividade para as Condições de Trabalho (ACT), de forma anónima, que pode atuar nestas situações.

 

 

Artigo anterior

Ligue a sua casa à tranquilidade e paz

Próximo artigo

Os 12 diferentes tipos de orgasmo que uma mulher pode ter