Home»FOTOS»A água fria reafirma a pele? Conheça alguns mitos sobre o banho

A água fria reafirma a pele? Conheça alguns mitos sobre o banho

Tomar banho é, para muitos, o momento mais relaxante do dia. Mas é também um hábito que levanta muitas questões. Perguntas sobre o consumo excessivo de água no duche ou no banho são comuns. E também existem muitas crenças erróneas que acabam por ser criadas. Ora veja.

Pinterest Google+
PUB

Mito 1: Terminar o duche com água gelada reafirma a pele. Do ponto de vista dermatológico, a água fria não tem qualquer efeito. No entanto, em termos de circulação sanguínea, a repentina mudança para água fria favorece a circulação e pode ser benéfico para a prevenção de patologias como varizes e celulite. Adicionalmente, a água fria fecha a fibra do cabelo, produzindo um maior brilho.

 

Mito 2: Subir a temperatura da água no inverno é ideal para combater o frio. A água muito quente não só pode secar a pele, privando-a dos seus óleos hidratantes naturais e deixando-a seca e sensível, como também pode danificar os fios de cabelo, deixando-os sem brilho. O ideal é tomar banho com água morna (entre 25ºC-30ºC) para evitar a secura da pele e ajudar à melhoria da circulação sanguínea.

 

Mito 3: É melhor tomar banho de manhã do que à noite. Não há um benefício associado entre tomar banho de manhã ou à noite. Porém, em 2016, um estudo de Harvard afirmou que o banho de manhã desperta a nossa criatividade e à noite diminui o nível de cortisol, ou seja, o nosso stress.

 

Mito 4: Tomar banho com água calcária faz mal à saúde. A água calcária, também denominada água dura, pelos níveis elevados de cálcio e magnésio, não é nociva para a saúde. No entanto, esta água deposita-se nos chuveiros e cria resíduos que os danificam.

 

Mito 5: Tomar um duche gasta a mesma quantidade de água que um banho de imersão. Mito. Tudo depende do tempo que se demora a tomar banho e da forma como o faz, o que faz com que o duche nem sempre possa ser a opção mais económica. Claro que será sempre mais económico optar por duches rápidos em vez de um banho de imersão, pois num duche de cinco minutos gasta-se apenas um terço da água que se gastaria num banho de imersão.

 

Artigo anterior

Hálito a alho: conheça a solução segundo a ciência

Próximo artigo

Pelo menos 43 crianças mortas desde o início do conflito em Myanmar