Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Minho distingue os mais jovens talentos da cozinha minhota

Minho distingue os mais jovens talentos da cozinha minhota

O Minho Young Chef Awards está de volta para promover a gastronomia minhota, inspirando os jovens cozinheiros a tornarem-se embaixadoras desta cozinha regional.

Pinterest Google+

O Minho Young Chef Awards (MYCA) está de regresso e traz grandes novidades. Além da distinção do melhor jovem chef de cozinha minhota, este ano a competição conta pela primeira vez com a prova de chef de Sala e Bar do Minho. O objetivo é elevar o prestígio destas profissões que são a chave de sucesso na restauração e hotelaria, ao mesmo tempo, que tornam esta formação mais atrativa junto dos jovens.

 

Ao todo, oito escolas minhotas estarão a concurso que começa já nos dias 20 e 21 de novembro com a semifinal em Braga. Nesta primeira prova, os jovens de cozinha vão confecionar uma receita que tem o bacalhau como ingrediente principal enquanto que os colegas de Sala e Bar prestam a prova de cafetaria, gestão de mesa, elaboração de um cocktail à base de café, prova de cerveja e harmonização do prato com um vinho verde.

 

Os vencedores vão disputar o primeiro lugar na final do MYCA, marcada para 9 e 10 de dezembro. O primeiro dia do evento será dedicado a seminários sobre a gastronomia e no dia seguinte, os concorrentes terão de confecionar uma receita tradicional da região minhota e uma inovação dessa mesma receita. O chef António Loureiro, o sommelier Hélder Silva, o chef Álvaro Dinis ou o chef Renato Cunha são alguns dos nomes do júri do MYCA.

 

Ao permitir que os jovens aprendam sobre o valor da diversidade alimentar local e a distinção regional, a competição pretende inspirar estes futuros embaixadores pela herança gastronómica do Minho. «Entendemos que esta região tem um grande ativo na sua gastronomia e de entre os vários recursos turísticos que nós podemos promover como fator de atração para este território, a gastronomia é inquestionavelmente uma dimensão muito relevante, muito distintiva e muito qualificada», explica o presidente da CIM Cávado, Ricardo Rio.

 

Ao adicionar a prova de sala e bar, a competição pretende fornecer as melhores práticas e experiências, aproximando os nossos alunos às necessidades e expectativas do mercado empresarial. “Nós sabemos que é cada vez mais importante para o turismo, para a gastronomia e restauração, a qualificação dos seus quadros. Se nós tivermos um bom Chefe de Cozinha, precisamos de um bom Chefe de Sala”, refere Rafael Oliveira, responsável pela organização do MYCA.

 

Esta terceira edição quer promover o consumo junto dos produtores locais e, por essa razão, os cabazes usados pelos participantes na semifinal serão fornecidos pela organização. Já na final serão atribuídos vouchers para que possam comprar os produtos apenas nos produtores locais e regionais.

 

A iniciativa do Minho Young Chef Awards é uma competição promovida pelo Consórcio Minho Inovação – que integra as três Comunidades Intermunicipais do Alto Minho, Cávado e Ave, pelo Instituto Internacional da Gastronomia, Cultura, Artes e Turismo (IGCAT), e pela Plataforma das Regiões Gastronómicas. O objetivo é fortalecer a identidade do Minho através de jovens chefs profissionais, promovendo a inovação gastronómica, utilizando a cozinha tradicional e produtos locais.

Artigo anterior

Dia Mundial do Cancro do Pâncreas: ‘E como está o meu pâncreas Sr. Doutor?’

Próximo artigo

Consumo: Salvem-nos do ridículo