Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Metade dos portugueses vai comprar um presente para si no Natal

Metade dos portugueses vai comprar um presente para si no Natal

O vestuário está no top das preferências desta tendência que se tem vindo a consolidar nos últimos anos.

Pinterest Google+
PUB

Metade dos consumidores nacionais tencionam comprar uma prenda de Natal para si, revela o mais recente estudo do Observador Cetelem. Esta é uma tendência que se tem vindo a consolidar nos últimos anos e que aumentou 24 pontos percentuais em cinco anos. Entre as aquisições deverá incluir-se o vestuário, um dos presentes mais desejados no Natal de 2017.

 

O estudo revela que, no total, a intenção de comprar presentes para o próprio tem vindo a aumentar gradualmente ao longo dos últimos anos: de 26% em 2013, passa para 29% em 2014, 29% em 2015 e 35% em 2016. Este ano situa-se nos 50%, ou seja, metade dos inquiridos.

 

VEJA TAMBÉM: A GUERRA DAS CALORIAS NATALÍCIAS. QUEM VENCE NESTAS 10 BATALHAS?

 

A prenda mais desejada pelos portugueses é vestuário, neste caso, para 34% dos inquiridos no estudo Observador Cetelem Natal 2017. Menção especial também para os perfumes e relógios, produtos desejados por 15% das pessoas, enquanto 12% dos consumidores nacionais gostariam de receber produtos culturais, como livros ou CD’s. Preferidos por 11% dos portugueses, os telemóveis e smartphones encontram-se no top 5 da lista de preferências.

 

Ao contrário do que se verifica na generalidade do ano e em anos anteriores, em 2017 os produtos e serviços respeitantes a viagens ou lazer são menos pretendidos pelos consumidores, pois apenas 6% dos inquiridos desejam receber uma prenda com esse perfil. Acessórios de moda, packs de lazer, tablet, eletrodomésticos e eletrónica de consumo – como TV, Hi-Fi, Video – completam o top 10 das categorias que os portugueses pretendem comprar.

 

VEJA TAMBÉM: OS ARTIGOS ERÓTICOS MAIS VENDIDOS PARA O AMIGO SECRETO NO NATAL

 

Este estudo foi desenvolvido em colaboração com a Nielsen, tendo sido realizados 600 inquéritos por telefone, a indivíduos de Portugal continental, de ambos os sexos, com idades compreendidas entre os 18 e os 65 anos, entre os dias 23 de setembro a 6 de outubro, e um erro máximo é de +4.0 para um intervalo de confiança de 95%.

Artigo anterior

Dormir bem ajuda a pele a cicatrizar mais depressa

Próximo artigo

O mapa astrológico: a sua vida no universo