Home»FOTOS»Metade dos adultos que julgam ter alergia alimentar sofrem realmente desta condição

Metade dos adultos que julgam ter alergia alimentar sofrem realmente desta condição

Moluscos, leite, amendoim, ovos e trigo são alguns dos alérgenos alimentares mais prevalentes nos adultos. Um novo estudo realizado nos EUA diz, no entanto, que são muito menos as pessoas que sofrem de uma verdadeira alergia alimentar, que pode desencadear uma reação com risco de vida.

Pinterest Google+

Cerca de 19% dos adultos julgam que têm uma alergia alimentar, mas ‘apenas’ 10% sofrem realmente desta condição, segundo um estudo realizado pela Universidade de Northwestern e pelo Hospital Pediátrico Ann & Robert Lurie de Chicago, nos Estados Unidos da América, e publicado no JAMA, Jornal da Associação Médica Americana.

 

Segundo o estudo, apesar de 19% dos adultos acharem que são alérgicos a alimentos, os sintomas relatados são inconsistentes com uma verdadeira alergia alimentar, que pode desencadear uma reação com risco de vida. Os resultados são baseados numa pesquisa nacional representativa de mais de 40 mil adultos.

 

VEJA TAMBÉM: SABE AS DIFERENÇAS ENTRE ALERGIA ALIMENTAR, INTOLERÂNCIA ALIMENTAR E DOENÇA AUTOIMUNE?

 

«Embora tenhamos descoberto que um em cada dez adultos tem alergia alimentar, quase o dobro de adultos acham que são alérgicos a alimentos, mas os seus sintomas podem sugerir intolerância alimentar ou outras condições relacionadas com alimentos», diz a autora dio estudo, Ruchi Gupta, médica e professora de pediatria. «É importante consultar um médico para testes e diagnósticos apropriados antes de eliminar completamente os alimentos da dieta. Se a alergia alimentar for confirmada, a compreensão desta gestão também é crítica, incluindo o reconhecimento de sintomas de anafilaxia e como e quando usar a epinefrina», explica a autora.

 

Os pesquisadores descobriram ainda que apenas metade dos adultos com alergia alimentar tinha um diagnóstico confirmado pelo médico, e menos de 25% relataram ter uma receita de epinefrina.

 

VEJA TAMBÉM: ALERGIA AO AMENDOIM SUPERADA EM ENSAIO CLÍNICO NA AUSTRÁLIA

 

Os pesquisadores também descobriram que quase metade dos adultos alérgicos a alimentos desenvolveu pelo menos uma das suas alergias alimentares quando adultos. «Ficámos surpreendidos ao descobrir que as alergias alimentares em adultos eram tão comuns», diz a médica, adiantando que «mais pesquisas são necessárias para entender por que isto está a acontecer e como o podemos evitar».

 

Os dados do estudo indicam que os alérgenos alimentares mais prevalentes entre adultos são moluscos, leite, amendoim, frutos secos, peixe, ovos, trigo, soja e sésamo. Saiba mais na galeria acima. «Os nossos dados mostram que o marisco é o principal alérgeno alimentar em adultos, que a alergia a crustáceos geralmente começa na idade adulta e que essa alergia é notavelmente comum ao longo da vida», Gupta. «Precisamos de mais estudos para esclarecer por que a alergia aos moluscos parece ser tão comum e persistente entre os adultos».

 

 

Artigo anterior

O frio chegou: guia de sobrevivência a constipações e gripes

Próximo artigo

As dietas detox pós-festas resultam? Nutricionista fala em poucas evidências