Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Mapa astrológico: as casas de água

Mapa astrológico: as casas de água

Após o nascimento no ASC (ascendente), e porque cada tema na astrologia nos remete a uma especialidade, quando queremos explorar a memória do ADN, o passado, tudo nos remete para as casas de água.

Pinterest Google+
PUB

Então não vamos interpretar todo o mapa, mas sim estas casas tão secretas. Como por exemplo se quero explorar a Astrologia e Saúde, posso analisar o ASC, casa VI, XII, VIII e X e seus regentes e aspetos astrológicos. O que quero dizer é que não vou ver o mapa todo, afinal cada especialidade tem uma técnica.

 

AS CASAS DE ÁGUA – A Memória do Sistema Familiar – ADN – Reminiscências

As três casas que correspondem, por analogia, aos três signos do elemento Água, liga-se a três modalidades, Cardeal, Fixo e Mutável: a casa IV, Caranguejo, a casa VIII, Escorpião, a casa XII Peixes, parecem estreitamente ligadas às questões Kármicas, a lei causa/efeito, à memória mais profunda, a memória celular. Devido ao fato destas casas terem uma enorme quantidade de informações sobre as nossas vidas anteriores, para quem acredita, para quem não acredita, fiquemos por reminiscências.

 

Todas as três casas astrológicas, ou áreas de vida, estão repletas de um passado que ainda nos marca, sobretudo se são densamente habitadas. Planetas retrógrados, nodos, os luminares, recebendo inúmeros aspetos astrológicos, como aspetos menores, o biquintil, ou quintil, e ainda o quincôncio, que revelam as dimensões kármicas nestas casas.

 

VEJA TAMBÉM: MAPA ASTROLÓGICO: REMINISCÊNCIAS, VIDAS PASSADAS, MEMÓRIA ADN

 

Esta trindade de água mostra os reflexos que adquirimos nas nossas vidas anteriores ou memórias do ADN, tais como; reações emocionais criadas pelos traumatismos e erros de outrora. Devemos livrar-nos destes resíduos afetivos e físicos, destes comportamentos do passado, para nos adaptarmos à nova encarnação. Mas, podemos decifrá-los ainda nestas casas. Ao tomarmos consciência do que trazemos no inconsciente, tal como Jung no ensina na psicologia, a sombra, podemos trazer à luz esses temas e resgatar nosso SELF.

 

As pessoas com “casas da Água” muito fortes, ou seja, com a presença de planetas, e ou o regente ligado no mapa astrológico ligando os Nodos, ou os luminares, têm, em geral, reminiscências bastante fortes das suas vidas anteriores ou reminiscências. Frequentemente são muito mediúnicas ou possuem uma enorme clarividência, e têm um contacto permanente com os planos invisíveis.

 

Afinal, todos somos mediúnicos, mas uns desenvolvem, outros bloqueiam e outros têm medo. Estas casas podem ajudar a ir buscar a causa, libertando, resgatando o seu potencial puro, resgatando seu propósito, seu Dharma. Dharma, significa “princípio ou lei” e se refere ao cumprimento de nosso propósito correto na vida.

Inclui a honra ou o reconhecimento que alcançamos por meio de nossas ações a nível pessoal e profissional, especificamente por meio da carreira. Relaciona-se a princípios mais amplos de verdade e ação correta. Em última análise, refere-se ao propósito de nossa alma nesta encarnação.

 

Ao ligamos estas casas por regências e ao tempo rotatividade, afinal a terra faz sua rotação em 24 horas, podemos progredir e verificar como o SER se está a manifestar. Mas, para que isso aconteça, precisamos mergulhar nestas águas profundas,  para que o individuo possa entender porque vive tempestades angustiantes, furacões internos que têm dificuldade em superar.

 

Inspiram à serenidade, embora estejam ligados por memória a comportamentos obsoletos que só fazem acarretar outras tempestades. Isso verifica-se sobretudo quando o Sol e Lua se abrigam nestas casas.

 

Bibliografia consultada – Judy Hall no livro “Vidas Passadas, Carma e Astrologia” e “Jornada Kármica”

 

Continua no próximo artigo…

 

Artigo anterior

Contraceção: métodos naturais ou farmacológicos?

Próximo artigo

Turismo voluntário: uma forma diferente de viajar pelo mundo