Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Mais de 80% dos portugueses vão optar por carro elétrico ou híbrido

Mais de 80% dos portugueses vão optar por carro elétrico ou híbrido

A quarta edição do Inquérito ao Clima do Banco Europeu de Investimento dá conta de uma consciencialização cada vez maior dos consumidores para a necessidade de proteger o planeta, seja na mobilidade, seja na aquisição de roupas, na hora de votar, etc.

Pinterest Google+
PUB

Os portugueses ocupam o segundo lugar na Europa a 27, com mais de 80% a admitirem que vão optar por carro elétrico ou hibrido na hora de comprar um carro novo. Na quarta edição do Inquérito ao Clima do Banco Europeu de Investimento, a média europeia deste parâmetro está nos 67%.

 

Em geral, os compradores de carros europeus tendem a favorecer os veículos híbridos (39%), enquanto os veículos a gasolina ou diesel ocupam o segundo lugar (33%) e os carros elétricos vêm em terceiro (28% afirmam que comprariam um carro elétrico).

 

Na União Europeia, os compradores de automóveis com mais de 65 anos estão particularmente interessados ​​em adquirir um veículo híbrido (47%), enquanto os inquiridos mais jovens (15-29 anos) consideram um veículo híbrido a opção menos favorável (31%). Os jovens europeus dizem que são ligeiramente mais propensos a optar por um veículo a gasolina ou diesel (35%) ou um carro elétrico (34%).

 

VEJA TAMBÉM: DE CONTENTOR A HORTA: PROJETO RAIZ QUER INTRODUZIR HORTAS VERTICAIS EM LISBOA

 

A segunda parte do Inquérito sobre o Clima do BEI 2021-2022 explora as opiniões das pessoas sobre as alterações climáticas num mundo em rápida mudança. Os resultados centram-se no comportamento individual dos cidadãos e nas ações que estão a tomar para combater as alterações climáticas.

 

O vice-presidente do BEI, Ambroise Fayolle, declarou: «Apesar de algumas diferenças claras entre as faixas etárias, os europeus estão cada vez mais a alterar a sua mobilidade e hábitos de consumo de uma forma mais responsável e sustentável para combater as alterações climáticas. Essas mudanças no comportamento individual mostram que pessoas de todas as gerações estão dispostas a assumir compromissos mais fortes nas suas vidas diárias para ajudar a mitigar a crise climática. Esses desejos foram expressos durante a COP26. Eles são um indicador claro de que precisamos ampliar os nossos esforços para apoiar a transição verde».

Mais dados do Inquérito sobre o Clima

Outros dados são explorados neste inquérito, como sejam: 69% dos jovens europeus dizem que consideram as alterações climáticas ao escolher um destino de férias. No entanto, a maioria deles ainda planeia voar no próximo verão.

 

A grande maioria, 78% dos europeus, sente que está a fazer tudo o que pode para combater as alterações climáticas nas suas vidas quotidianas, mas consideram que os seus compatriotas não estão a fazer o mesmo.

 

A questão climática também já pesa na hora de votar para 70% dos europeus, que dizem levar em consideração a questão das mudanças climáticas nos atos eleitorais. No caso dos jovens, 54% consideram as alterações climáticas quando procuram emprego.

 

Quando se trata de fazer férias, 67% dos europeus dizem que consideram as mudanças climáticas ao escolher o seu destino. Essa preocupação é ainda mais forte entre as pessoas com menos de 30 anos (69%). No entanto, a maioria dos jovens europeus (52%, em comparação com 37% para pessoas com idades compreendidas entre os 30-64 e 25% para as pessoas com 65 anos ou mais) dizem que ainda vão voar para as férias de verão em 2022.

Comprar roupas também já entra nesta equação, com 42% dos europeus a dizerem que já compram roupas em segunda mão em vez de novas. As mulheres são mais propensas a fazê-lo do que os homens (48% para mulheres, 34% para homens). Essa prática é particularmente popular entre os jovens de 15 a 29 anos (54%), enquanto o número cai 26 pontos para pessoas acima de 65 anos (28%).

 

Estes são alguns dos resultados da segunda divulgação do Estudo de Clima 2021-2022 publicado hoje pelo Banco Europeu de Investimento, o braço de empréstimos da União Europeia e o maior credor multilateral do mundo para projetos de ação climática.

 

 

 

 

Artigo anterior

2022 é o Ano do Tigre. Conheça o seu horóscopo chinês

Próximo artigo

Compulsão alimentar: o stress e a ansiedade fazem comer mais