Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Maioria dos portugueses admite mudar de hábitos devido ao Covid-19

Maioria dos portugueses admite mudar de hábitos devido ao Covid-19

Um novo estudo apurou que muitos estão a pensar trabalhar a partir de casa e reforçar a despensa, como medidas essências para ultrapassar a epidemia.

Pinterest Google+
PUB

Os portugueses estão preocupados com o coronavírus e admitem alterar os seus hábitos. Ao todo, 79,6% pensam em trabalhar a partir de casa se a epidemia chegar, aos quais se juntam 70,4% que estão preparados para reforçar as compras para casa e 63,2% que admitem deixar de ir a eventos num futuro próximo.

 

Os dados são de um estudo realizado pela multidados.com – the research agency – em parceria com a Guess What, que quis ainda saber qual o nível de conhecimento dos cidadãos nacionais sobre este tema. Da totalidade dos inquiridos, 87,5% consideram-se esclarecidos sobre o tema, com uma percentagem ainda maior a afirmar conhecer os sintomas (92,1%). No entanto, apenas 27% identificam o cansaço como sintoma e só 24,3% o fazem em relação às dores musculares.

 

VEJA TAMBÉM: COVID-19 IMPULSIONA AO REFORÇO DAS MEDIDAS DE SEGURANÇA NO TELETRABALHO

 

Ligar para a Linha de Saúde 24 é o comportamento que 71,8% dizem seguir em caso de suspeita de infeção, com 61,3% a assumir o isolamento. Ainda assim, um em cada cinco (20,5%) admitem recorrer ao hospital, com 19,9% a falar no uso de máscaras, ambas desaconselhadas pelos especialistas.

 

Apesar do volume de notícias sobre o tema, 52,6% dos inquiridos não se sentem alarmados, estando a maioria (70,4%) confiante nas informações prestadas pelas autoridades de saúde.

 

O estudo foi realizado por via dos métodos CATI (Telefónico) E CAWI (online) a uma base de dados de utilizadores registados na plataforma da multidados.com. Foram recolhidas e validadas 1000 respostas entre os dias 2 e 8 de março.

 

Artigo anterior

Quinta do Pisão, um passeio pela natureza às portas de Lisboa

Próximo artigo

O lado espiritual da fertilidade segundo a Ayurveda