Home»FOTOS»Maioria das pessoas terá um episódio de lombalgia ao longo da sua vida

Maioria das pessoas terá um episódio de lombalgia ao longo da sua vida

São vários os fatores que podem contribuir para as comumente chamadas ‘dores nas costas’, desde físicos, mas também psicológicos, como o stress e a ansiedade. Saiba como as prevenir, segundo recomendações do ortopedista e presidente da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral, Manuel Tavares de Matos. Hoje é Dia Internacional das Lesões da Coluna Vertebral.

Pinterest Google+

Estima-se que 8 em cada 10 pessoas terão um episódio de lombalgia ao longo da sua vida, revela Manuel Tavares de Matos, ortopedista e presidente da Sociedade Portuguesa de Patologia da Coluna Vertebral.

 

Destes, 50 a 60% recuperam numa semana, 95% em três meses e apenas 5% a 10% dos casos desenvolvem lombalgia crónica, sendo que esta afeta 3 a 4 vezes mais a população entre os 50 e os 60 anos de idade com uma prevalência de cerca de 50% mais alta na mulher.

 

VEJA TAMBÉM: QUANTO DEVE PESAR UMA MOCHILA ESCOLAR? SAIBA FAZER A ESCOLHA CERTA

 

«A lombalgia define-se como a dor numa área posterior do corpo, entre a ultima costela e a região glútea, com ou sem irradiação pelo membro inferior (ciática), sendo aguda se a duração for de um dia até seis semanas, subaguda até às doze semanas e após esta consideramos estar perante uma lombalgia crónica», explica o especialista.

Quanto às causas, podem ser diversas, desde casos de infeção a patologia tumoral ou alterações estruturais como escolioses que se possam manifestar deste modo. Porém, o mais habitual é serem consequência de alterações degenerativas dos discos intervertebrais.

 

VEJA TAMBÉM: RENUNCIE AO APELO DA CADEIRA: SAIBA PORQUE DEVE PASSAR MAIS TEMPO EM PÉ

 

Outros fatores podem também contribuir para as lombalgias como estado psicológico, ansiedade, depressão, stress, fatores psicossociais, intensidade da atividade física no trabalho, movimentos repetidos de rotação, exposição a vibração, tabaco e obesidade.

 

Para evitar fazer parte das estatísticas, o especialista revela formas de prevenir as lombalgias. Veja as recomendações na galeria acima.

 

Artigo anterior

Palavras proibidas no trabalho: para uma rentrée mais segura

Próximo artigo

O meu filho é gordo! Como posso ajudar?