Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Madeira: uma viagem pela Pérola do Atlântico

Madeira: uma viagem pela Pérola do Atlântico

Paisagens deslumbrantes, florestas verdejantes, montanhas vulcânicas, flores de cores exuberantes e mergulhos no mar azul do Atlântico. Junte-lhe uma gastronomia deliciosa e uma hospitalidade acolhedora e eis a receita para as suas próximas férias.

Pinterest Google+

Rica em distinções, que regularmente lhe são atribuídas, a ilha da Madeira é um destino para pôr na lista de locais a visitar. O Melhor Destino Insular do Mundo, prémio atribuído pelos World Travel Awards mais do que uma vez, tem muito para lhe mostrar. A ilha e o seu arquipélago.

 

Este arquipélago português compreende quatro grupos de ilhas: Madeira, Porto Santo, Desertas e Selvagens, sendo que apenas as duas primeiras são habitadas. As Desertas e as Selvagens são reservas naturais e fazem jus ao nome que lhes foi atribuído.

 

A Madeira está a aproximadamente a 1000 km do continente europeu e a apenas 500 km do continente africano. A posição geográfica e a orografia montanhosa da ilha da Madeira propiciam um clima ameno: 25° C no verão e 17° C no inverno, com temperaturas médias muito suaves e uma humidade moderada. O clima da ilha do Porto Santo é seco e estável, com pouca variação térmica entre as diferentes estações, pelo que é normal fazer praia durante todo o ano. As suas areias douradas são famosas.

 

VEJA TAMBÉM: AS PORTAS DO FUNCHAL

 

Em 2019, assinalam-se os 600 ano de descoberta da ilha da Madeira pelos navegadores Tristão Vaz Teixeira, Bartolomeu Perestrelo e João Gonçalves Zarco. Foi em 1419 que chegaram à costa da ilha que acabariam por apelidar de Madeira, devido à presença massiva deste material no território. Já Porto Santo, descoberto antes, em 1418, foi nomeado desta forma devido a uma tempestade que desviou as embarcações, destinadas a África, e garantiu que os marinheiros atracassem num porto seguro, salvando-os do mar revolto.

 

Há 600 anos este era um arquipélago não habitado, mas o seu papel foi incontornável nas viagens marítimas realizadas por Portugal nos séculos XV e XVI. Ao longo destes seis séculos, as ilhas da Madeira e de Porto Santo atravessaram diversos ciclos económicos, cujo papel no desenvolvimento do arquipélago acabariam por estruturar e desenhar vários aspetos socioculturais da vida madeirense. Assim, o processo de desenvolvimento da ilha ao longo deste período divide-se essencialmente em quatro ciclos, segundo o Turismo da Madeira. São eles: Ciclo dos Cereais, Ciclo do Açúcar, Ciclo do Vinho e Ciclo do Turismo. É este que se vive atualmente.

 

VEJA TAMBÉM: TELEFÉRICOS: UMA VIAGEM PELAS ALTURAS EM PORTUGAL

 

E hoje, após séculos de povoamento da ilha, a natureza deslumbrante do arquipélago continua a ser o seu bem mais precioso, sendo que a animação turística gira em torno da orografia, diversidade morfológica e paisagística. As montanhas, as águas límpidas, as florestas frondosas, o clima ameno, o descanso, o lazer e o desporto são os pontos fortes da ilha da Madeira e de Porto Santo.

 

Paisagens deslumbrantes, florestas densas, verdejantes, montanhas vulcânicas, jardins com flores de cores exuberantes, sabor a maracujá e mergulhos no mar azul do Atlântico. O destino para os que procuram um céu mais azul e um sol mais brilhante, carinho e sorrisos, uma hospitalidade exemplar que inspira tranquilidade e segurança.

 

VEJA TAMBÉM: NO INVERNO OS AÇORES SÃO AINDA MAIS BELOS

 

Como destino onde a beleza natural impera, são também as atividades que a descobrem aquelas que mais cativam os turistas. E aqui pode encontrar de tudo: desde múltiplos passeios pedestres, mais acessíveis ou mais complexos, por percursos que atravessam montes e vales, a todo o tipo de atividades aquáticas, que vão desde o mergulho, à observação de cetáceos ou ao surf, ou a até à escalada, ao parapente, canyoning, etc., etc..

 

A gastronomia é outro ponto forte deste grupo de ilhas. Desde as famosas espetadas em espeto de loureiro, aos cubos de milho frito ou ao bolo do caco com manteiga de alho, tudo faz crescer água na boca. Mas a Madeira também é conhecida pela sua glamourosa fruta. Doce e saborosa, faz encher o olho de tantas cores. Famosas as suas bananas, são para muitos as melhores do mundo.

 

É toda esta história, cultura e beleza que o arquipélago quer dar a conhecer aos visitantes e a continuar, assim, a somar prémios de turismo. Seis séculos passados, ‘Este é o ano para ir à Madeira’, segundo a Direção Regional de Turismo da Madeira. Afirmar junto do mercado nacional a Madeira como destino de férias, ao longo dos 365 dias do ano, é o objetivo. Vai aceitar o convite para uma visita?

 

Artigo anterior

Feno grego: sabor e versatilidade terapêutica na Ayurveda

Próximo artigo

Camiões do lixo da Maia apresentam exposição itinerante do World Press Photo 2019