Home»COVID-19»Lojistas da Avenida da Liberdade unem-se para abertura conjunta em segurança

Lojistas da Avenida da Liberdade unem-se para abertura conjunta em segurança

Agora que o país começa a dar os primeiros passos fora de casa, as lojas e demais ocupantes da Avenida da Liberdade juntam-se pela primeira vez para convidar os clientes a voltar à zona comercial mais emblemática da capital lisboeta. A ideia pretende promover a redescoberta segura dos espaços já existentes e de novas lojas, tais como a recém-inaugurada Dolce & Gabbana.

Pinterest Google+
PUB

Passados dois meses de confinamento, a Avenida da Liberdade, em Lisboa, prepara-se para voltar a receber os primeiros consumidores, já no dia 18 de maio, garantindo que todas as normas de segurança serão cumpridas dentro e fora dos espaços comerciais. Este é um momento histórico para os lojistas, hotéis e escritórios desta zona que, pela primeira vez, se unem para fazer face a uma nova realidade.

 

A Avenida da Liberdade, que se assume como um espaço comercial ao ar livre, reúne marcas de luxo e premium, bem como os melhores hotéis, restaurantes e escritórios de Lisboa.  Para retomar a atividade foram implementadas todas as boas práticas para o Comércio e Serviço, conforme o protocolo assinado entre a CCP e a DGS, bem como adotadas as melhores medidas internacionais de higiene e segurança para os clientes e colaboradores, informam em comunicado.

 

VEJA TAMBÉM: JÁ SABE COMO PROCEDER QUANDO FOR A UM RESTAURANTE? CONHEÇA AS RECOMENDAÇÕES DA DGS

 

O uso de máscara é obrigatório em todos os espaços, bem como a higienização frequente e o limite de número de clientes por loja, assegurando as distâncias exigidas. E, não menos importante, provadores e peças de roupa, bem como, acessórios e calçado serão higienizados após cada utilização.

 

Para comodidade dos clientes, os espaços comerciais vão promover um horário idêntico entre si, com abertura a partir das 11h00 e fecho até às 20h00, seis dias por semana, disponibilizando um serviço de click & colect que permite realizar compras online, via telefone ou email diretamente com as lojas e fazer a recolha e levantamento sem ter de sair do carro.

 

«Num momento particularmente difícil, a reabertura gradual dos espaços comerciais e empresas da Avenida da Liberdade espera contribuir para a recuperação económica do país e para a manutenção dos postos de trabalho», refere Pedro Mendes Leal, porta voz do Comité da Avenida e presidente da APP.

 

VEJA TAMBÉM: ESTUDO NOS CINCO CONTINENTES CONFIRMA QUE HÁBITOS DE CONSUMO MUDARAM COM A COVID-19

 

Com o regresso dos restaurantes, hotéis e escritórios, o Comité da Avenida compromete-se a promover iniciativas organizadas, ao ar livre e em segurança, recuperando o dinamismo da Avenida da Liberdade.

 

O Comité da Avenida é composto por André Ópticas, Boss Menswear Store, Boss Womenswear Store, Boutique dos Relógios, Boutique dos Relógios Plus, Bulgari, Burberry, Cartier, Cushman & Wakefield, David Rosas, Dolce & Gabbana, Ermenegildo Zegna, Fashion Clinic, Furla, Gucci, Guess, Havas Village, Hotel Valverde, Hugo Boss, JNcQuoi Ásia, JNcQuoi Avenida, JNcQuoi Club, Loewe, Loja das Meias, Longchamp, Maria João Bahia, Max Mara, Miu Mil, Omega, Prada, Prowinko, Rosa & Teixeira, Solar dos Presuntos, Timberland, TOD’S, Tranquilidade e Versace.

 

 

Artigo anterior

Estudo nos cinco continentes confirma que hábitos de consumo mudaram com a Covid-19

Próximo artigo

Sabia que a cachaça não serve só para fazer caipirinha?