Home»FOTOS»Lesões relacionadas com a tecnologia aumentam ‘dramaticamente’ nos últimos anos

Lesões relacionadas com a tecnologia aumentam ‘dramaticamente’ nos últimos anos

Mais conectados do que nunca, o uso excessivo das novas tecnologias tem trazido consigo novos problemas. Mas muitas das lesões relacionadas com a tecnologia podem ser evitadas, se o senso comum for acionado: colocar o dispositivo de lado de vez em quando.

Pinterest Google+

O crescente uso dos dispositivos eletrónicos, como smarphones, tablets e consolas de jogos, resulta num aumento dramático de lesões nas mãos, pulsos e cotovelos, assim como no pescoço e costas, de acordo com o Instituto Kessler, EUA.

 

«Estamos mais conectados do que nunca, e toda essa conectividade envolve o uso das nossas mãos», diz Joseph Valenza, diretor de Gestão da Dor do Instituto Kessler de Reabilitação. «O uso excessivo pode levar rapidamente a dormência, dor e perda de função. Vimos um dramático aumento de lesões relacionadas com a tecnologia nos últimos anos. É importante estar ciente dos sintomas destas ‘lesões digitais’ e procurar tratamento antes de surgirem complicações mais graves».

 

Veja também: A postura SMS

 

Em média, os adultos respondem a 40 emails por dia, passam 23 horas por semana a enviar mensagens de texto e jogam mais de 6,5 horas por semana.  As crianças são igualmente afetadas por horas de trabalho escolar, mensagens de texto e jogos. Considerando o tempo que as pessoas gastam nesses dispositivos – e a força exercida sobre os dedos e as mãos – não é de surpreender que determinados problemas físicos se desenvolvam.

 

«A pressão contínua de pressionar nas teclas, tocar num ecrã, ou mesmo segurar um dispositivo pode afetar os nervos, músculos e tendões na mão, pulso, cotovelo e ombro – e qualquer uma destas hipóteses pode provocar as designadas lesões por esforço repetitivo», esclarece Norma Glennon, do Instituto Kessler.

 

Veja também: Dicas para conseguir afastar-se do seu smartphone

 

Estas lesões por esforço repetitivo mais comuns incluem uma inflamação nos tendões que leva a dor e cólicas; inflamação que faz com que o polegar ou outros dedos bloqueiem; inflamação causada por segurar dispositivos por longos períodos de tempo que acarreta dor, cólicas e perda da função da mão e do pulso. Além disso, há ainda o ‘selfie elbow’ ou epicondilite, síndrome do túnel cubital, que produz dor, ardor e dormência na mão, antebraço e cotovelo.

 

Por fim, o uso excessivo destes dispositivos também pode levar a tendões rompidos e à perda permanente das suas funções, bem como a dores nos ombros e nas costas por estar constantemente a olhar para baixo.

 

Como líder em medicina física e de reabilitação nos EUA, o Instituto Kessler oferece 10 dicas para ajudar as prevenir lesões nos utilizadores. Em todas as idades. Veja na galeria acima.

Artigo anterior

As tendências para 2018

Próximo artigo

Em mês de muitos gastos... como poupar dinheiro nas compras