Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Lentes de contacto dentárias: o que são e indicações de tratamento

Lentes de contacto dentárias: o que são e indicações de tratamento

Também conhecidas por laminados cerâmicos ou facetas de mínima espessura, são um conceito atual de estética e invisibilidade dentária. Sendo um procedimento restaurador indireto, é confecionado num laboratório de prótese dentária para ser aplicado no consultório, nos nossos dentes.

Pinterest Google+
PUB

As lentes de contacto dentárias são uma evolução da tradicional faceta, que se torna, consoante indicação, mais finas. Isto só é possível devido ao uso de materiais estéticos cerâmicos cada vez mais resistentes, e à grande evolução dos agentes ou cimentos de adesão.

 

Constituição e características das cerâmicas

São compostas de sílica e óxidos. A sílica é responsável pela adesividade da cerâmica e os óxidos pela sua resistência. No entanto, são inversamente proporcionais na sua constituição. Têm a capacidade de serem ácido ativadas o que lhes permite serem utilizadas nos sistemas adesivos atuais.

 

Existem três tipos mais utilizados que são: as feldspáticas ou convencionais, que devido à sua maior concentração de sílica são mais adesivas, mas menos resistentes; as do tipo injetadas em dissilicato de lítio, que são um pouco mais resistentes; e as fresadas, que se apresentam em blocos monocromáticos também mais resistentes. Podem ser associadas umas com as outras e dependem dos fenómenos de contração e expansão consoante as variações de temperatura.

 

Características dos laminados ou lentes de contacto de cerâmica

São restaurações estéticas indiretas parciais, das facetas anteriores ou vestibulares dos dentes anteriores ou posteriores, através de desgastes ou preparos conservadores ou pouco evasivos inferiores a 0.6mm o que os distingue de uma comum faceta dentária.

 

Estas peliculas ou lentes são aderidas à estrutura dentária por agentes ou cimento resinosos através de uma técnica de cimentação adesiva praticamente irreversível, o que garante a longevidade e estabilidade do tratamento. A preparação do dente ou talhe obedece também a uma variação da técnica habitual, sendo mais conservadora, extensiva a toda a superfície visível e com contorno anatómico.

 

Indicações de tratamento

Para alterações de cor, forma, tamanho, posição e textura do dente. A cor é o fator mais limitante desta técnica pois quanto mais escuros os dentes do ou restaurações pré-existentes do paciente maior terá de ser a preparação ou desgaste do dente, para esconder o defeito e maior terá de ser a espessura do material restaurador, acabando por ser uma faceta. Este tratamento também é indicado para as lesões de textura do dente, como são as lesões de erosão e ou abrasão, assim como para defeitos de nascença e fluroses.

 

Contraindicações de tratamento com lentes de contacto

A maior contraindicação é a perda de tecido dentário superior ou igual a um terço do lado não visível ou paliativo do dente. Sendo a técnica estritamente adesiva e não mecanicamente retentiva, tem de existir um substrato de dente que permita ser colado. Caso não exista esta condição o melhor será reabilitar com um restauro total/coroa.

 

As parafunções oclusais limitam este tipo de tratamento, como é o caso de bruxismo (ranger os dentes), mas não contraindicam. Pois o tratamento prévio da causa, e o uso de goteiras ou placa de proteção, possibilitam o tratamento. Os dentes muito escurecidos irão obrigatoriamente ser mais intervencionados e levar restaurações mais espessas do tipo facetas.

 

Características do tratamento

Apresenta um baixo risco de fratura ou sensibilidade para o dente devido a pouca ou nenhuma remoção de estrutura dentária. O tratamento em si (dois dias a uma semana) é previsível e rápido, sendo o planeamento (uma a duas semanas) a etapa mais demorada.

 

Este tratamento tem uma grande longevidade. As forças adesivas dos adesivos atuais também contribuem para a sua longevidade pois são superiores ao grau de adesão natural do esmalte à dentina. No entanto, é uma técnica delicada e sensível, devido à altíssima fragilidade da própria lâmina antes da cimentação.

 

Por vezes, existe dificuldade no polimento final da restauração devido ao sobre contorno. Este polimento no entanto é imprescindível para se eliminar totalmente as linhas de fratura intrínsecas à cerâmica, garantindo-se desta forma a integridade da mesma. No entanto, não existe estética sem função e como tal as regras de oclusão e suas respetivas guias devem estar sempre presentes.

Artigo anterior

Jovens lançam desafio a líderes em Davos: “Mais empregos e melhor educação”

Próximo artigo

IKEA lança concurso para encontrar novo prato vegetariano em Portugal