Home»VIDA»DIREITOS HUMANOS»‘Juventude’ em vez de ‘os jovens’: Conselho Económico e Social adota Manual de Linguagem Inclusiva

‘Juventude’ em vez de ‘os jovens’: Conselho Económico e Social adota Manual de Linguagem Inclusiva

Novo guia orientador pretende estabelecer uma linguagem inclusiva e promotora da igual visibilidade e simetria de mulheres e homens nas comunicações institucionais entre os diversos membros do CES.

Pinterest Google+
PUB

O Plenário do Conselho Económico e Social de Portugal (CES), entidade que integra representantes do Governo, trabalhadores, empregadores, personalidades meritórias e de interesses diversos, adotou a utilização do Manual de Linguagem Inclusiva para as suas comunicações institucionais.

 

Este manual pretende ser um guia facilitador da comunicação institucional do CES, inspirando-se em orientações normativas nacionais e internacionais quanto ao uso de uma linguagem inclusiva e promotora da igual visibilidade e simetria de mulheres e homens, informa a a entidade em comunicado.

 

O novo manual presenta alternativas ao uso do universal masculino e várias sugestões que visam a inclusão de todas as pessoas que, por qualquer circunstância específica, devam ser mencionadas em documentos institucionais.

 

VEJA TAMBÉM: UNIVERSIDADE DE COIMBRA LANÇA PLANO PARA PROMOVER IGUALDADE E DIVERSIDADE ATÉ 2023

 

Exemplos a seguir

Assim, por exemplo, em vez de ‘os jovens’ deverá utilizar-se o termo ‘a juventude’; em vez de ‘os imigrantes’, deverá utilizar-se ‘comunidades imigrantes’ e em vez de ‘os professores’ deverá usar-se ‘corpo docente’ ou ‘docentes’.

 

O documento vai mais longe e sugere mesmo que sempre que for possível omitir a referência sexual, tal deverá ser adotado, uma vez que «a língua portuguesa oferece várias outras opções que possibilitam a inclusão de todas as pessoas na comunicação».

 

Neste caso, em vez de ‘o candidato deverá enviar o formulário até dia X’ deverá optar-se por reformular a frase para ‘o formulário de candidatura deverá ser enviado até dia X’. Em vez de ‘nascido em’ deverá optar-se pela expressão ‘local de nascimento’, etc..

 

 

Não se tratando apenas de uma questão instituir uma linguagem inclusiva, o CES refere também que o uso do sexo na linguagem pode mesmo induzir em erro. No exemplo ‘A taxa de risco de pobreza diminuiu entre os reformados’, a frase pode induzir em erro e levar a crer que sejam apenas os homens reformados aqui considerados.

 

Nos casos em que não é possível retirar o género da frase, sugere-se a utilização de formas duplas. Assim, em vez de ‘os alunos’ deverá escrever-se ‘as alunas e os alunos’. Ou em ves de ‘os pais’ deverá privilegiar-se a expressão ‘o pai e a mãe’, etc..

 

 

Artigo anterior

Maioria das praias europeias com elevada qualidade de água

Próximo artigo

Como ter nádegas e coxas bem definidas?