Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Júpiter: a sabedoria da vida

Júpiter: a sabedoria da vida

O glifo do planeta gigante é composto pelo semicírculo da Lua (= alma) erguendo-se acima da cruz da matéria. Júpiter representa o estágio no desenvolvimento do Homem em que a alma triunfou sobre as suas experiências na Terra (a cruz), tendo obtido, através dessas experiências, a sabedoria que confere a perceção da Lei Universal, aplicada à vida terrestre.

Pinterest Google+

Através dos raios de Júpiter, o Homem liberta-se de opiniões restritivas e pessoais, de maneira a poder agir com imparcialidade, graças à compreensão da Verdade. Júpiter é o maior planeta do sistema solar. Simboliza a necessidade de procurar o significado e um objetivo/propósito maior para a nossa vida. É a visão filosófica construída pela experiência das “grandes viagens”, o desejo de ir além das fronteiras e de novos horizontes, o espírito exploratório do futuro e o anseio de expansão da mente.

 

Traduz o otimismo, a fé, a confiança definitiva, a religiosidade, a proteção, a graça, a esperança e o senso de justiça. É o Zeus na versão Mitológica. Os raios de Zeus-Júpiter manifestam-se através da mente do Homem e ajudam a criar o desejo de expansão do Eu, em dois níveis.

 

Como o Homem é basicamente dual, isto é, composto de um eu animal que o prende à Terra e de um ativo eu espiritual que o inspira na direção “dos céus”, também os raios de Júpiter atuam dualmente. Portanto, eles podem contribuir para o desejo de alguém explorar os domínios dos cinco sentidos e/ou conceder a uma pessoa a mente de um filósofo. Eles podem favorecer a atividade sensual descontrolada ou produzir o professor que busca expandir as faculdades do entendimento, a fim de que o Grande Plano possa ser compreendido e ensinado aos outros.

 

Para além da sua capacidade para desenvolver os atributos mentais superiores, como Vénus, Júpiter é um planeta de boa sorte, em geral. Se bem situado no mapa, pode conceder grande abundância material. Se mal situado, ele pode produzir um indivíduo desgovernado, absolutamente autoindulgente. Os raios de Júpiter têm o poder de criar um filantropo, mas quando estes raios estiverem pervertidos, resultarão em cobiça e avareza.

 

Júpiter pode abençoar o seu recipiente com uma perceção dos mais profundos significados da vida, em especial aqueles adquiridos através de viagens e instrução superior. Não obstante, se tais pessoas não possuírem um propósito coeso ou elevado, no tocante aos estudos ou viagens, Júpiter pode contribuir para produzir andarilhos e diletantes. No corpo físico, Júpiter está intimamente associado ao fígado, às articulações dos quadris e à glândula pituitária posterior, bem como à nutrição celular em geral.

 

Júpiter é o regente de Sagitário e o coregente de Peixes. Também é intimamente relacionado com as questões das Casas IX e XII (em especial com os aspetos altruístas e religiosos desta última). Júpiter tem conexão com todas as atividades ligadas à lei, à religião, à educação superior, aos estabelecimentos bancários e às finanças internacionais.

Artigo anterior

Alimentos fermentados aliados da saúde (sobretudo do intestino)

Próximo artigo

Sara Sampaio é a nova cara do BPI