Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Jovens lançam desafio a líderes em Davos: “Mais empregos e melhor educação”

Jovens lançam desafio a líderes em Davos: “Mais empregos e melhor educação”

A UNICEF realizou um inquérito online a 10.000 jovens, de mais de 160 países, do qual emergiu esta mensagem clara e simples para os líderes mundiais reunidos esta semana na Suíça.

Pinterest Google+

Milhares de jovens lançam um desafio aos líderes reunidos no Fórum Económico Mundial, que decorre de 22 a 25 de janeiro, em Davos, na Suíça: “Necessitamos de mais empregos e melhor educação”. A UNICEF realizou um inquérito online a 10.000 jovens, de mais de 160 países, do qual emergiu esta mensagem clara e simples para os líderes mundiais reunidos esta semana, como acontece todos os anos.

 

Pela primeira vez na sua história, o Fórum de Davos nomeou seis “Global Shapers” com idade inferior a 30 anos como copresidentes da reunião – uma decisão que reconhece que os jovens são o grupo demográfico mais afetado pelas perturbações de longo prazo que impactam o mundo de trabalho.

 

VEJA TAMBÉM: PORTUGAL É O PAÍS PER-CAPITA COM MAIS INSCRIÇÕES DE JOVENS QUE QUEREM DESCOBRIR GRATUITAMENTE A EUROPA

 

 

«Há atualmente 1,8 mil milhões de jovens entre 10 e 24 anos de idade. Todos os meses, 10 milhões atingem a idade de trabalho e percebem que as competências valorizadas no passado não se enquadram nas necessidades do mercado de trabalho atual», declara a diretora executiva da UNICEF, Henrietta Fore, na reunião, realizada hoje em Davos, que reuniu as três comunidades do Fórum: Global Shapers, Young Global Leaders e Schwab Social Entrepreneurs.

 

«Eles querem – e necessitam – conhecimento e capacidades adequadas para os trabalhos do futuro: de competências digitais, de modelos de agricultura moderna, de tecnologia verde e de gestão e empreendedorismo. Numa comunidade cada vez mais global, continuar as fazer tudo da mesma forma não é suficiente. O setor privado tem um papel fundamental para ajudar a colmatar a lacuna de competências e dar aos jovens as oportunidades de que precisam para alcançar todo o seu potencial».

 

VEJA TAMBÉM: DAS PALHINHAS DE VIDRO AO BIOPLÁSTICO: A SUSTENTABILIDADE CONQUISTA O MUNDO DAS PROMOÇÕES

 

«Estamos a solicitar soluções disruptivas e novas ideias», afirmou Henrietta Fore. «Se agirmos com sabedoria e urgência, podemos criar uma geração de jovens qualificados e mais bem preparados para criar economias sustentáveis e sociedades pacíficas e prósperas», refere no comunicado divulgado pela UNICEF.

 

As opiniões expressas no inquérito apontam para uma crise na educação e nas competências. Existem 71 milhões de jovens desempregados. Mais de 150 milhões de jovens estão a trabalhar, mas vivem com menos de US $3 por dia (2,5€). Globalmente, seis em cada 10 crianças e adolescentes não atingem a proficiência mínima em leitura e matemática e 200 milhões de adolescentes não vão à escola. Os mais afetados são os que mais necessitam de educação e competências – meninas e mulheres jovens, crianças e adolescentes-, que vivem em zonas de conflito, e pessoas com deficiência.

 

Artigo anterior

Terras sem Sombra 2019 arranca na Vidigueira

Próximo artigo

Lentes de contacto dentárias: o que são e indicações de tratamento