Home»VIDA»SOCIEDADE»Já ouviu falar na Li-Fi? A net 100 vezes mais rápida que o Wi-Fi?

Já ouviu falar na Li-Fi? A net 100 vezes mais rápida que o Wi-Fi?

Imagine ter uma tecnologia em casa que lhe permita transmitir dados a uma velocidade de 224 gigabits por segundo, o equivalente a cerca de 18 filmes de 1,5 GB transferidos por segundo.

Pinterest Google+

Já ouviu da Li-fi? Não confunda com Wi-fi. A Li-Fi é uma tecnologia sem fios que transmite dados a alta velocidade utilizando “comunicação de luz visível” (VLC). Esta transmissão é efetuada através do piscar de um LED que tem a capacidade de enviar mais dados do que uma torre de telecomunicações.

A invenção é responsabilidade de Harald Haas da Universidade de Edimburgo, em 2011, e através de testes de laboratório conseguiu demonstrar o potencial enorme desta tecnologia.

 

O Li-Fi encontra-se atualmente a ser testado em escritórios e ambientes industriais em Tallinn, na Estónia. Para utilizar a VLC, os investigadores criaram uma solução de iluminação inteligente para um ambiente industrial onde a comunicação de dados é feita através da luz visível entre 400 e 800 terahertz (THz). Estão a ser feitas transmissão de dados de 1 GB por segundo, isto é, 100 vezes mais rápido do que a média de velocidade do Wi-Fi que se tem atualmente.

 

Se tudo lhe parece estranho, imagine isto como uma forma avançada de código Morse, ou seja, assim como um determinado padrão de traços e pontos pode transmitir uma mensagem secreta, ligar e desligar uma luz LED em velocidades extremas pode ser um método usado para escrever e transmitir dados em código binário. Estas velocidades extremas são impercetíveis ao olho nu, por isso não terá a sua casa a piscar constantemente, e como a luz não atravessa paredes, a rede torna-se mais segura e há menos interferências entre os dispositivos.

 

No entanto, apesar de todos estes benefícios, o Li-Fi não irá substituir completamente o Wi-Fi durante algum tempo, visto que as casas estão equipadas com infraestruturas para fornecer Wi-Fi, mas podem ser utilizadas em conjunto para alcançar redes mais eficientes e seguras.

 

Artigo anterior

Passatempo “Desperdício Zero na Cozinha”

Próximo artigo

Bacalhau gratinado com abóbora