Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Isabel Guimarães: «Um astrólogo profissional nunca dá respostas, ajuda o próprio a encontrá-las»

Isabel Guimarães: «Um astrólogo profissional nunca dá respostas, ajuda o próprio a encontrá-las»

É astróloga, presidente da Associação Portuguesa de Astrologia, autora dos livros ‘AC – Acreditar ou Conhecer a Astrologia’ e 'Guia de Interpretação Astrológica em 22 Passos'. E, agora, de mais um que será lançado no final de outubro, ‘Como fazer previsões Astrológicas’. Um tema que quisemos explorar um pouco mais.

Pinterest Google+

Porque decidiu escrever este livro?

A razão do tema deste livro deve-se à minha atividade como formadora certificada na minha escola na área de astrologia. O impulso dos meus alunos e a necessidade de os mesmos aprofundarem esta área tão especifica da astrologia levou-me a escrever este livro. A outra razão deve-se à pouca literatura do tema nesta área especifica, ensinar como fazer previsões e não limitar a relatórios.

 

Que conteúdos podemos encontrar nele?

Podem encontrar um resumo bem alargado dos arquétipos, ou seja, dos modelos que usamos como base numa interpretação do mapa natal como, os Planetas, Signos, Casas Astrológicas e Aspetos Astrológicos, o ponto de partida para uma interpretação. De seguida, faço um resumo dos fundamentos do meu estudo e em que autores me baseio para o desenvolvimento do tema. Procurei focar-me em técnicas de previsão mais usadas, pelo que temos várias técnicas porque temos muitos pais na astrologia. Ao desenvolver cada técnica fundamento e dou exemplos práticos com nomes de personalidades portuguesas para melhor compreensão do leitor.

 

Destina-se a profissionais ou ao cidadão comum?

Destina-se a profissionais, estudantes e interessados de forma geral, pela simplicidade no uso da linguagem. Sendo esta muito técnica, procurei simplificar na síntese levando a compreensão do leitor interessado.

 

O que é necessário ter em conta para fazer previsões astrológicas?

Para podermos fazer previsões astrológicas, precisamos de entender muito bem os fundamentos que regem a astrologia, saber interpretar um mapa natal, ou seja, o mapa de nascimento e entender os ciclos de cada planeta, usado as respetivas efemérides. De seguida, a importância da análise do mapa progredido, aquele que progride com a idade e nos situa no momento do cliente para a devida previsão e o conhecimento prévio dos cálculos usados para o objetivo da questão a analisar. Na realidade, é preciso muito estudo, pesquisa e investigação numa correlação de dados e dos movimentos primários dos planetas em relação à Terra.

 

O que se pode prever com os astros?

Na realidade podemos prever e não adivinhar quase tudo, depende da prática do profissional de astrologia e a forma como usa as técnicas com os devidos cálculos delegados pelos nossos antecessores. O uso da ética e do código deontológico profissional da Aspas-Associação Portuguesa de Astrologia assegura um trabalho profissional e uma boa ferramenta para ajudar a aproveitar as oportunidades que surgem e que muitas vezes no emaranhamento das circunstâncias da vida deixamos fugir, ou até mesmo acontecimentos mais tensos que podem ser analisados como desafios que fortalecem o caminho de cada um a percorrer nesta estrada da vida com tantas curvas e sinais.

Artigo anterior

The Mix, o melhor do mar em Cascais

Próximo artigo

Alimentos afrodisíacos: para aquecer ainda mais este outono