Home»GLAMOUR»MODA»IPAM traça perfil dos leitores de blogues de moda em Portugal

IPAM traça perfil dos leitores de blogues de moda em Portugal

Mais de metade dos seguidores deste tipo de plataformas são licenciados e 4% têm um doutoramento. A esmagadora maioria são mulheres (98%).

Pinterest Google+
PUB

Mulher jovem, solteira, com formação superior e urbana. Este é o perfil do leitor de blogues de moda em Portugal, traçado por um estudo levado a cabo no IPAM – The Marketing School.

Os leitores de blogues de moda em Portugal são jovens adultos e, na sua esmagadora maioria (98 por cento), do sexo feminino. 74 por cento têm menos de 35 anos e apenas quatro por cento têm mais de 44 anos. Mais de metade (61,4 por cento) dos leitores são solteiros. Quanto a habilitações literárias, 86 por cento seguiu o ensino superior, sendo que mais de 50 por cento é licenciado e quatro por cento tem um doutoramento. 64 por cento dos respondentes encontra-se a trabalhar e um quarto dos leitores são estudantes.

Os números são revelado no âmbito de uma investigação levada a cabo por André Carvalho, que está a desenvolver uma tese sobre a influência dos blogues de moda no comportamento de compra do consumidor português de vestuário e que, até ao momento, já permitiu construir o perfil dos seguidores destas plataformas online.

«Nos últimos anos, o mercado do vestuário nacional apresentou uma evolução acentuada, sobretudo no que toca à utilização do digital para fins comerciais. Devido à propagação de ideias e opiniões que as redes sociais permitem, o consumidor aceita cada vez mais informações sobre produtos que outro indivíduo comenta, como é o caso dos blogues», revela a instituição em comunicado.

Lisboa é a cidade onde existe maior concentração de indivíduos que seguem blogues de moda (34 por cento), seguindo-se o Porto (27 por cento). Aveiro (oito por cento), Braga (seis por cento) e Setúbal (cinco por cento) são outras áreas geográficas que se destacam. O inquérito foi realizado nos passados meses de março e abril e contou com uma amostra de 498 respondentes.

Artigo anterior

Oceanário de Lisboa oferece serviço inovador de cacifos públicos para bicicletas

Próximo artigo

Porque continuamos a crescer?