Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Investigadores portugueses conseguem inativar bactéria resistente a antibióticos

Investigadores portugueses conseguem inativar bactéria resistente a antibióticos

A investigação realizada na Universidade de Aveiro conseguiu combater a bactéria Staphylococcus aureus, responsável, entre outras doenças, por abcessos na pele e infeções do trato urinário. O feito foi conseguido com recurso à terapia fotodinâmica, usada já vulgarmente para tratar a acne.

Pinterest Google+
PUB

 

Com sucesso, a equipa de químicos e biólogos da UA constituída por Adelaide Almeida, Amparo Faustino, Maria da Graça Neves, Tatiana Branco, Cristina Dias, Nuno Moura, Cristina Dias, Vânia Jesus, Ana Peixoto e Nádia Valério, testou in vitro e na pele a terapia fotodinâmica, por si só ou combinada com antibióticos, para inativar esta bactéria.

 

“Os resultados mostraram que a terapia fotodinâmica, usada já vulgarmente para tratar, por exemplo, o acne, é uma abordagem eficaz para controlar a infeção por S. aureus na pele, inativando a bactéria eficazmente após três ciclos sucessivos de tratamento com luz e sem adição de antibióticos entre ciclos, ou após um ciclo usando a ação combinada da terapia com o antibiótico ampicilina”, congratula-se Adelaide Almeida.

 

VEJA TAMBÉM: QUASE METADE DOS ADULTOS COM MAIS DE 25 ANOS DORME MENOS DE SEIS HORAS POR DIA

 

“Embora seja bem-sabido que o uso de grandes quantidades de antibióticos na prática clínica é indesejável devido ao aparecimento de estirpes resistentes a antibióticos, pouco esforço tem sido feito para usar a terapia fotodinâmica para potencializar a eficácia antibiótica ou, alternativamente, usar antibióticos para melhorar o efeito desta terapia”, explica a bióloga.

 

A avaliação deste efeito combinado foi realizada pela equipa da UA em pele de suíno, considerada um bom modelo de teste para a pele humana, devido às semelhanças das suas propriedades histológicas, fisiológicas e imunológicas.

 

Artigo anterior

MSC Bellissima, o novo gigante dos mares está em Lisboa

Próximo artigo

Perguntas e respostas sobre a diretiva relativa aos direitos de autor