Home»BEM-ESTAR»COMPORTAMENTO»Interferência das sms na nossa vida é mais complicada do que se imagina

Interferência das sms na nossa vida é mais complicada do que se imagina

As mensagens de texto são tanto fonte de aproximação como de separação. O texting está a alterar a forma como lidamos com as nossas relações e já há estudos a comprova-lo. O tema esteve em alta na convenção anual da Associação Americana de Psicologia.

Pinterest Google+

Do sexting à separação, as mensagens de texto tanto têm o poder de aproximar como de afastar as pessoas. Pelo menos é o que defendem os estudos apresentados na convenção anual da Associação Americana de Psicologia, que terminou ontem em São Francisco, Estados Unidos da América.

 

Os pesquisadores entrevistaram cerca de 205 adultos, com idades entre os 18 e os 29 anos, que estavam em relacionamentos românticos. As perguntas realizadas incidiram nas questões da segurança emocional, hábitos de mensagens de texto e satisfação no relacionamento.

 

Os casais com hábitos semelhantes de mensagens de texto estão, segundo este estudo, mais felizes e satisfeitos um com o outro. Independentemente se as mensagens serem de amor ou simples reclamações. «Os casais enviarem mensagens de texto é mais importante para a satisfação do relacionamento do que a frequência com que eles as enviam», como explica Leora Trub, da Universidade de Pace.

 

 

VEJA TAMBÉM: PARA DORMIR BEM É PRECISO DESLIGAR O SMARTPHONE 30 MINUTOS ANTES

 

Num outro estudo, também da autoria de Trub, ficou provado que as mensagens de texto tanto podem aproximar as pessoas como criar uma maior distância. Tudo depende das motivações que nos levam a escrever uma sms. Para avaliar a motivação das pessoas para mandar mensagens de texto, Trub e os seus colegas desenvolveram uma pesquisa que contou com a participação de 982 adultos, com idades entre os 18 e os 29 anos. As perguntas realizadas pretendiam compreender se os comportamentos de dependência em relação aos telemóveis, à ansiedade social e à timidez ou outros traços gerais de personalidade.

 

Algo que os pesquisadores também descobriram é que as pessoas costumam escrever mensagens de texto porque acham que esta é uma maneira melhor de se expressar do que falar ao telefone ou pessoalmente. Ou seja, as mensagens de texto podem funcionar como uma forma de fuga. «Escrevemos para conversar com o nosso cônjuge durante o dia de trabalho e ficar conectado com amigos de longe, mas também enviamos um texto para evitar lidar com parentes na festa da família ou romper com alguém», disse Trub, que considera que as mensagens de texto podem funcionar como uma ‘muleta social’ e acontecem quando as pessoas estão isoladas.

 

VEJA TAMBÉM: SMARTPHONES ANDAM DEMASIADO SUJOS E SÃO PERIGO PARA A SAÚDE PÚBLICA

 

No lado mais quente do espectro, outro estudo descobriu que as pessoas que realizavam sexting várias vezes por semanas, ao contrário daquelas pessoas que faziam sexo todos os dias e até mais uma vez por dia, tinham uma maior probabilidade de experimentar conflitos nas suas relações e até começar a ter um comportamento de infidelidade nas redes sociais e ver mais pornografia.

 

Este estudo incluiu 615 adultos, em relacionamentos, oriundos dos Estados Unidos e do Canadá. As perguntas feitas pretendiam compreender os seus comportamentos sexuais, autoestima, satisfação no relacionamento, compromisso, conflito e uso de pornografia. Este estudo concluiu que as pessoas que não fizeram sexting ficaram de tal forma felizes com os seus parceiros como as pessoas que fizeram sexo. Os pesquisadores também descobriram que uma percentagem maior de pessoas em relacionamentos do mesmo sexo era frequente ou hiper ‘sexters’.

 

Artigo anterior

Mantenha a energia: Alimentos mais ricos em potássio do que a banana

Próximo artigo

90 anos do Rato Mickey imortalizados em coleção exclusiva de cristal