Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»Infertilidade e fibromiomas uterinos

Infertilidade e fibromiomas uterinos

Numa população de mulheres cada vez com mais idade, não é fácil determinar a efetiva repercussão dos fibromiomas na reprodução, visto que com os anos a fertilidade diminui e a probabilidade de desenvolvimento de miomas uterinos aumenta.

Pinterest Google+
PUB

Com o adiamento cada vez mais habitual da idade de concepção, é indiscutível a relevância que esta patologia tem numa consulta de ginecologia / infertilidade. Existem várias razões pelos quais os fibromiomas podem afetar a fertilidade:

 

– Modificação da contractilidade uterina com intromissão na motilidade dos embriões e gâmetas (espermatozóides e ovócitos).

 

– Interferência no endométrio, com deformação da cavidade uterina, compromisso da vascularização e libertação de substâncias inflamatórias, interferindo todos estes elementos com a progressão dos espermatozóides e a implantação dos embriões.

 

– Perturbação da anatomia com distorção da cavidade uterina e obstrução das trompas.

 

As técnicas utilizadas nos tratamentos de infertilidade superam a questão do transporte dos gâmetas, sendo assim fundamentais os aspectos que prejudicam a implantação. Desta forma o impacto dos fibromiomas na gravidez e o seu tratamento deve ser analisado dependendo se a gestação pode acontecer naturalmente ou exclusivamente com o auxílio de técnicas de Procriação Medicamente Assistida (PMA).

 

O número, o tamanho e a localização dos miomas vão interferir de forma diferenciada na resposta reprodutiva, assim é funcional compartimentar os fibromiomas com base na sua localização e se vão ser utilizadas ou não técnicas de PMA.

 

Actuação nos casos de infertilidade sem necessidade de terapêuticas de PMA

 

  1. a) Fibromiomas subserosos – não há estudos que permitam analisar o efeito deste tipo de miomas e da sua remoção cirúrgica na gravidez espontânea.

 

  1. b) Fibromiomas submucosos – os estudos científicos comprovam que este tipo de miomas tem um impacto desfavorável no sucesso da gravidez. Assim a miomectomia histeroscópica nalguns tipos de fibromiomas (tipos 0 e 1) melhora a taxa de gravidez e diminui a incidência de aborto espontâneo.

 

  1. c) Fibromiomas intramurais – publicações científicas mais recentes têm demonstrado igualmente um efeito negativo deste tipo de miomas na gravidez natural, contudo ainda não está perfeitamente estabelecido a importância do número e das dimensões dos fibromiomas. Contudo alguns estudos parecem indicar que a remoção de miomas com mais de 5 cm melhora as taxas de gravidez.
Artigo anterior

Casamentos: o que vestir às crianças segundo as tendências

Próximo artigo

Os parques temáticos mais espetaculares que vão abrir