Home»BEM-ESTAR»CORPO»Inatividade física é causa de mortalidade em Portugal

Inatividade física é causa de mortalidade em Portugal

Saiu o novo Relatório Global da Atividade Física, que analisou dados de 131 países. Quatro dos dez países mais ativos estão concentrados na Ásia e cinco dos países menos ativos estão localizados na Europa. Em Portugal,65% dos homens e mulheres são ativos.

Pinterest Google+

De acordo com o 4º Relatório Global da Atividade Física, agora divulgado, 13,6% das mortes em Portugal derivam da inatividade física. O relatório foi divulgado pelo Observatório Global da Atividade Física (GoPA), um conselho de investigadores de atividade física do Centro de Ciências da Saúde da Universidade do Texas, em Houston (EUA).

 

Os resultados apresentados dizem respeito a 131 países. Estes dados dão informação detalhada da pesquisa efetuada acerca da atividade física de cada país.

 

O GoPA foi lançado em 2012, após a publicação da ‘Lancet Physical Activity Series’, que descreveu o cenário da inatividade física mundial. A organização global tem como principal objetivo reduzir a inatividade física e o seu trabalho analisa três pontos fulcrais: investigação, políticas e vigilância.

 

«A inatividade física é extremamente importante e não tem recebido a atenção que merece. Deveria ser considerada um problema urgente de saúde pública», transmitiu Harold Kohl, presidente fundador do GoPA.

 

A inatividade física é um dos maiores fatores de risco para o desenvolvimento de doenças crónicas a nível mundial e afeta tanto os países desenvolvidos como países em vias de desenvolvimento. De acordo com os estudos da Lancet, a inatividade física é responsável por mais de 5 milhões de mortes por ano, desde 1% de mortes em Bangladesh até aos 19% de mortes em Malta. A nível mundial, aproximadamente 30% dos adultos são fisicamente inativos.

 

Os Estados Unidos da América são líderes na publicação de pesquisas acerca de atividade física, sendo responsáveis por quase 25% da pesquisa mundial efetuada em 2013. Enquanto 68% de homens e mulheres são fisicamente ativos nos EUA, 10.8% das mortes são devido à falta de atividade física. Os Estados Unidos, Austrália, Canadá, holanda, Espanha e Reino Unido foram responsáveis por 51% das publicações científicas sobre atividade física e saúde pública em 2013. Brasil e China são dois dos países com mais investigação efetuada. No caso de Portugal, o país está em 23º lugar no ranking e contribui com 1,01% para a investigação sobre a atividade física no mundo (dados de 2013). E 65% de homens e mulheres são fisicamente ativos.

 

Apesar de 90% dos 131 países terem realizados pelo menos uma pesquisa acerca da atividade física, menos de um terço mantém sistemas de vigilância contínuos. Esta vigilância da inatividade física e de outros fatores de risco para doenças não transmissíveis é essencial para a avaliação de tendências temporais e do impacto das intervenções, de acordo com o GoPA.

 

Com o desenvolvimento das políticas públicas, 37 países têm planos nacionais específicos para promover a atividade física e outros 65 incluem atividade física nos seus planos para prevenir as doenças não transmissíveis. Portugal é um dos países que tem monitorização e estatuto político pois tem um plano de atividade física – o Plano Nacional de Saúde e tem realizado estudos nacionais desde 2002.

 

 

Artigo anterior

Pamela Anderson é a última mulher nua na capa da ‘Playboy’

Próximo artigo

Já é Natal em Óbidos