Home»S-Planeta»Ideias que podem transformar a sua vida e a do planeta

Ideias que podem transformar a sua vida e a do planeta

O planeta chegou ao limite dos seus recursos naturais para todo o ano de 2020 no mês de agosto, o que quer dizer que já consumimos todo o stock de recursos que a terra produz para um ano. Também já ultrapassámos os limites previstos de poluição, principalmente a atmosférica. Alterar comportamentos é necessário, mas nem sempre é fácil de efetivar. Por onde começar?

Pinterest Google+

A Coopérnico, cooperativa de energias renováveis, deixa cinco ideias para conseguir reduzir a sua pegada de carbono e tornar a sua vida mais sustentável. Comece por onde for mais acessível para si e faça as mudanças de forma gradual.

 

1.Comprar roupa em segunda mão

Pense em toda a roupa que é produzida a cada estação, desde as mais pequenas butiques às grandes multinacionais. Agora pense nos recursos necessários para fazer cada peça, desde a rega dos campos de algodão, à poluição provocada pelas fábricas, ao transporte das peças que vêm, muitas vezes, do outro lado do mundo onde a produção é mais rentável. Tudo isto por uma peça que durará uma estação e, no ano seguinte, passará de moda.

 

Para responder à insustentabilidade trazida pela fast fashion, tente limitar a frequência de compra de roupa nova, e quando comprar é inevitável, opte pela segunda mão para poupar toda a energia e recursos associados à produção. Opções não faltam podendo recorrer a lojas como a Flamingos Vintage Kilo (Lisboa) ou a Mão Esquerda (Porto). A crescente tendência para comprar em segunda mão também tem levado ao aparecimento de marcas de roupa vintage online e de rua. Faça o mesmo e dê uma nova vida às roupas que já não usa vendendo ou doando a instituições. Evitará que acabem num aterro ou que alguém compre uma nova peça semelhante.

 

VEJA TAMBÉM: PRODUTOS DE ANTIGAMENTE QUE ESTÃO DE REGRESSO AO MERCADO SUSTENTÁVEL

 

2.Trocar o carro pela bicicleta

É uma atividade que faz bem ao corpo e ao planeta. Sempre que escolhe a bicicleta em detrimento do carro reduz a emissão de gases com efeito de estufa para a atmosfera para zero. Veja-se o que aconteceu durante o período de confinamento obrigatório quando a qualidade do ar nas principais cidades portuguesas aumentou drasticamente. Sabia que os carros perfazem 61% do total das emissões de dióxido de carbono em transportes rodoviários na Europa? Por isso, incentivamo-lo a começar a pedalar, mesmo que ocasionalmente. A Câmara Municipal de Lisboa, para além de ter apostado na construção de ciclovias nas principais artérias da cidade, tem também um programa de apoio à aquisição de bicicletas financiando 50% do valor até um limite de 100€ para bicicletas normais, e 350€ para bicicletas elétricas. Saiba mais sobre o programa aqui.

 

3.Comprar a granel

Poderá parecer um comportamento irrelevante mas acredite que comprar a granel fará a diferença na sua pegada ecológica, pois evitará a produção de novas embalagens de cada vez que for às compras. Se pensar em todos os produtos que traz para casa numa ida ao supermercado, provavelmente a maioria estará embalada num ou mais materiais. Comprar a granel significa evitar a produção desses materiais, principalmente do plástico, o qual utiliza o petróleo como sua principal matéria-prima. Quanto menos plástico usarmos, menor será a probabilidade de este acabar na natureza, poluindo os oceanos enquanto se degrada em microplásticos que serão consumidos por algumas espécies que acabam no nosso prato e, consequentemente, no nosso organismo. Levar as suas próprias embalagens e sacos de pano quando fizer compras a granel ajudará a quebrar o ciclo do plástico no meio ambiente. No site agranel.pt poderá encontrar uma lista de lojas a granel um pouco por todo o país.

 

VEJA TAMBÉM: COMPOSTAGEM CASEIRA: COMO GERIR OS RESÍDUOS ORGÂNICOS E AJUDAR O AMBIENTE

 

4.Isolar bem a casa

Se as suas paredes falassem, provavelmente diriam “isolem-me!” É uma ideia que, muitas vezes, vai sendo deixada para segundo plano devido ao trabalho e custos associados. Afinal, é muito mais conveniente ligar o ar condicionado ou o aquecedor quando as temperaturas apertam. O que pode não saber é que a longo prazo, um isolamento ineficiente das suas portas, janelas e paredes, terá custos superiores a uma remodelação já que terá de ligar os equipamentos mais vezes ou durante mais tempo. Poderá começar por pequenos gestos como isolar as portas e janelas recorrendo a métodos económicos como fitas de calafetagem, estores, cortinas de tecidos mais pesados. No entanto, se quiser ver a sua fatura energética diminuir de forma drástica, o ideal será investir em pequenas obras para tornar a sua casa mais sustentável, como instalar janelas eficientes, de classe “A+”. O governo criou o Programa de Apoio a Edifícios Mais Sustentáveis para que possa fazer esta e outras alterações que visem melhorar a eficiência energética de casas construídas antes de 2006.

 

5.Escolher um fornecedor de energia

No que toca à sustentabilidade energética, o fornecedor que escolhe para abastecimento doméstico poderá ter um impacto substancial no ambiente. Deverá procurar comercializadores alinhados com a transição energética e com a vontade de descarbonizar o setor elétrico. Procure a informação que cada um disponibiliza sobre este assunto e se a missão do fornecedor está alinhada com os princípios da sustentabilidade. Poderá optar por um fornecedor de energia como a Coopérnico que tem como objetivo um modelo energético renovável, justo e responsável que contribua para um futuro social, ambiental e energeticamente sustentável. Fará parte de uma cooperativa energética sem fins lucrativos que promove a produção e a venda à rede de eletricidade verde. Para outras dicas sobre como poupar energia em casa, visite o Poupa Watts.

 

Artigo anterior

Batata-doce: descubra os encantos desta doce raiz

Próximo artigo

E assim nasceu o perfume…