Home»BEM-ESTAR»SAÚDE»Idas noturnas à casa de banho relacionadas com excesso de ingestão de sal

Idas noturnas à casa de banho relacionadas com excesso de ingestão de sal

Investigadores japoneses sugerem que a redução de sal na dieta tem melhorias neste problema que afeta a qualidade de vida das pessoas, sobretudo acima dos 60 anos.

Pinterest Google+

As idas noturnas à casa de banho podem estar relacionadas com o excesso de ingestão de sal, sugerem investigadores japoneses. O problema, que afeta pessoas sobretudo acima dos 60 anos, leva a perturbações do sono que por sua vez afetam a qualidade de vida. O estudo foi realizado por investigadores da Universidade de Nagasaki.

 

Para o estudo, 300 voluntários que ingeriam muito sal e tinham problemas de sono foram seguidos pelos investigadores durante três meses. Quando estes cortaram na ingestão de sal, as idas noturnas à casa de banho para urinar caíram de mais de duas vezes por noite para apenas uma. Esta situação também se registou durante o dia, ou seja, as corridas à casa de banho também reduziram e a qualidade de vida geral melhorou.

 

Veja também: Quando a urina em excesso se torna um problema

 

Matsuo Tomohiro, autor do estudo, diz que são necessários mais estudos para firmar esta teoria, mas que para já esta informação pode ajudar as pessoas. «Este trabalho levanta a possibilidade de uma simples mudança na dieta poder melhorar significativamente a qualidade de vida de muitas pessoas», disse ao canal britânico.

 

Normalmente, os médicos não consideram a ingestão de sal quando fazem a avaliação médica destes casos, focando-se, sim, na quantidade de água que se ingere e nos problemas na bexiga e próstata que possam existir. «Aqui temos um estudo útil que nos mostra que temos de considerar todas as influencias para tentarmos melhorar os sintomas», comentou Marcus Drake, especialista da Universidade de Bristol.

 

Veja também: Incontinência urinária e bexiga hiperativa

Veja também: Bercina Candoso: «A incontinencia urinária continua a ser uma epidemia escondida»

 

Artigo anterior

Pés com glamour? Neste inverno calce nacional

Próximo artigo

Reconheça a síndrome de burnout segundo um médico psiquiatra