Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Governo quer eliminar gorduras trans dos alimentos à venda em Portugal

Governo quer eliminar gorduras trans dos alimentos à venda em Portugal

A Organização Mundial de Saúde recomendou recentemente a eliminação dos ácidos gordos trans produzidos industrialmente do fornecimento global de alimentos. Portugal reconhece que ainda não tratou devidamente desta matéria e compromete-se agora a avançar com medidas. A OMS estima que a ingestão de gordura trans é responsável por mais de 500 mil mortes por ano no mundo.

Pinterest Google+
PUB

O Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, Fernando Araújo, anunciou hoje, em Genebra, na Assembleia Mundial da Saúde, que o Governo vai iniciar os trabalhos em conjunto com todos os parceiros do setor alimentar tendo como objetivo eliminar a presença de gorduras trans nos alimentos à venda no mercado português, divulga o Governo em comunicado.

 

«Gostaria de anunciar a nossa intenção, em conjunto com a indústria nacional, iniciar a preparação de medidas que garantam a eliminação da gordura trans em Portugal, à semelhança do que já aconteceu noutros países europeus, nomeadamente na Dinamarca. Este é claramente um problema que Portugal precisa de resolver», revelou o governante, que participou na cerimónia de compromisso de eliminação das gorduras trans, numa sessão a decorrer no âmbito da Assembleia Geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), em Genebra, na Suíça.

 

VEJA TAMBÉM: OMS QUER ELIMINAR GORDURAS TRANS INDUSTRIAIS DA CADEIA ALIMENTAR

 

Fernando Araújo frisou que, embora em toda a Europa tenha havido «um bom progresso na redução das gorduras trans nos alimentos, em grande parte impulsionado pelo crescente número de países com limites legais», em países como Portugal, onde esta matéria não foi devidamente aprofundada, «as preocupações permanecem», devido à presença, ainda que reduzida, de gorduras trans «em vários produtos altamente consumidos».

 

De acordo com a evidência científica disponível, detalhou o Secretário de Estado Adjunto e da Saúde, o grupo das bolachas e dos produtos de pastelaria, sobretudo os produzidos localmente, são aqueles onde os ácidos gordos trans estão mais presentes.

 

VEJA TAMBÉM: OS MAIORES MITOS SOBRE GORDURA E COLESTEROL

 

O governante português, que foi convidado a participar nesta sessão em Genebra, aproveitou ainda o momento para falar da prioridade que o Governo tem dado à promoção da alimentação saudável, destacando a criação da Estratégia Integrada para a Promoção da Alimentação Saudável (EIPAS), em dezembro de 2017.

 

A EIPAS consiste num conjunto de medidas acordadas por um grupo de trabalho interministerial e que se «destina a promover a tradicional dieta mediterrânica saudável, rica em frutas e vegetais, e combater o excesso de ingestão de alimentos ricos em ácidos gordos saturados e trans, açúcares livres e sal».

 

VEJA TAMBÉM: DE VOLTA AO GINÁSIO: 10 ALIMENTOS PARA GANHAR MÚSCULO E PERDER GORDURA

 

Fernando Araújo afirmou ainda o apoio de Portugal em relação ao compromisso de eliminação de gordura trans dos alimentos. O pacote de ação REPLACE, com uma estratégia para alcançar a eliminação de gordura trans industrializada nos alimentos até 2023 foi lançado no passado dia 14 de maio e apresentado esta terça-feira em Genebra.

 

O consumo de gorduras trans está fortemente associado ao aumento do risco de doenças cardíacas e à mortalidade associada a estas. Globalmente, estima-se que o aumento do consumo destas gorduras é responsável por mais de 500 mil mortes por ano.

 

Artigo anterior

Dino Parque supera expetativas e atinge 100 mil visitantes em três meses

Próximo artigo

Zara abre loja em Londres com venda automática