Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Governo oficializa novo sistema de Braille

Governo oficializa novo sistema de Braille

Decreto-lei publicado hoje em Diário da República normaliza uma antiga aspiração das pessoas com deficiência visual e das suas organizações representativas: poder aplicar o sistema a todas as grafias, desde a língua portuguesa à informática.

Pinterest Google+
PUB

O Governo oficializa hoje o sistema Braille em Portugal, para satisfazer as novas necessidades dos utilizadores, atualizando e complementado um sistema que estava em vigor desde 1930. Os sinais do sistema Braille aplicam-se, agora, a todas as grafias, designadamente, à língua portuguesa, matemática, química, música e informática.

 

«Sucede que a realidade braillográfica então decretada deixou de satisfazer, desde há muito, as necessidades sentidas pelos utilizadores, que tiveram de passar a aplicar o Braille não só à escrita vocabular, quer no modo integral quer no estenográfico, como também à escrita, nomeadamente, da matemática, da química, da fonética, da informática, da música. Por outro lado, o sistema Braille deixou de ser apenas um código elementar de leitura e escrita tátil para se tornar também no cerne de uma vasta problemática hoje em dia merecedora do interesse académico, dando origem a investigação desenvolvida nos seus vários domínios, servida por uma já ampla e reputada bibliografia», pode ler-se no comunicado do Diário da República.

 

Veja também: União Europeia vai disponibilizar mais livros para cegos e deficientes visuais

 

Os novos tempos tornaram assim necessário oficializar o material signográfico e as suas diversas aplicações braillográficas e definir as condições adequadas ao enquadramento, estruturação, normalização e orientação do emprego do Braille, bem como o seu desenvolvimento como o meio natural de leitura e escrita das pessoas com deficiência visual, para a sua integração familiar, escolar, profissional e social.

 

A normalização e oficialização do sistema Braille era ainda uma antiga aspiração das pessoas com deficiência visual e das suas organizações representativas. Para aceder ao Decreto-Lei n.º 126/2017 de 4 de outubro, clique aqui.

 

Artigo anterior

Sexo de reconciliação

Próximo artigo

Campanha digital alerta mulheres e homens para riscos do Papilomavírus Humano