Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Gorduras saturadas confundem o seu relógio biológico

Gorduras saturadas confundem o seu relógio biológico

O consumo de gorduras saturadas, em determinados momentos, pode desencadear distúrbios metabólicos. E a inflamação causada poder confudir o corpo, levando a que vários tipos de células reflitam diferentes ‘relógios’ no organismo.

Pinterest Google+

Faz sentido que as pessoas quando tentam emagrecer evitem gorduras na sua alimentação. Uma investigação da ‘Texas A&M Health Science Center’ e  da‘Texas A&M AgriLife’ analisou o porquê de as gorduras saturadas serem más e sugere que tudo tem o seu ‘timing’.

 

O ritmo circadiano, que existe nas células por todo o corpo, regula a temporização local de processos celulares importantes que são necessárias para o funcionamento normal e ajuda a verificar as respostas inflamatórias. «Quando se interrompe esse momento, a organização de 24 horas, há consequências. E este é um fator que contribui para muitos problemas de saúdes, especialmente a doença metabólica», disse David Earnest, professor na área de Neurociências e Medicina Terapêutica Experimental.

 

Veja também: Alimentos que afinal não são assim tão saudáveis

Num curto prazo, a inflamação é considerada uma resposta protetora para ferimentos ou bactérias invasoras, mas a crónica, com baixo grau de inflamação causada por dietas ricas em gorduras, contribui para a obesidade e diabetes do tipo 2 e outras desordens relacionadas com a inflamação, como as doenças cardiovasculares, acidente vascular e artrite reumatóide. O grupo de investigadores conseguiu demonstrar que o consumo de gorduras saturadas, em determinados momentos, pode confundir os ‘relógios’ internos, bem como a inflamação resultante.

 

Earnest sugere que uma dieta rica em gordura altera a forma como o relógio biológico se mantém estável, em particular, as células imunes que medeiam a inflamação. Com este estudo, foi possível verificar que este tipo de gordura em particular – mais especificamente um ácido grasso saturado chamado palmítico – é o grande culpado em comprometer a precisão do nosso relógio biológico.

 

Essencialmente, o que o palmítico faz é ‘confundir’ as células do corpo de modo a que sejam dadas repostas em diferentes ‘zonas de tempo’. O ser humano consegue gerenciar bem quando todo o corpo se move em fusos horários diferentes, mas a inflamação parece resultar quando algumas células são deslocadas e outras não.

 

Veja também: Alimentos gordos que afinal são saudáveis

 

Earnest compara este fenómeno com a confusão que seria se o relógio de parede do seu escritório indicasse as 14:00h, o seu computador 16:00h e o seu relógio de pulso marcasse as 14:30h, tudo ao mesmo tempo. Com este cenário, fica sem saber que horas são realmente, assim como o seu corpo fica confuso quando vários tipos de células refletem diferentes ‘relógios’. Infelizmente, o ácido palmítico é uma das gorduras saturadas de cadeia longa mais consumida na dieta ocidental.

 

«A inflamação crónica é determinada pelas gorduras saturadas que inclui na sua dieta e pelo horário que as ingere», disse Earnest à ‘Science Daily’. Os resultados relatados preveem que o melhor momento para comer uma refeição rica em gordura é no início da manhã e, provavelmente, o pior momento será à tarde e à noite. Em suma, não conta só aquilo que come, mas também quando come.

 

Artigo anterior

Adesivo inovador dissolve gordura localizada

Próximo artigo

O que os seus olhos dizem de si