Home»LAZER»DICAS & VIAGENS»Fotógrafo desvenda fotos de parque de diversões consumido pela vegetação

Fotógrafo desvenda fotos de parque de diversões consumido pela vegetação

À primeira vista, parece um sonho de infância tornado realidade: um parque temático cheio de montanhas-russas coloridas e castelos prontos a serem descobertos. Mas não é bem assim. Romain Veillon partilha agora com o mundo a sua experiência «pós-apocalíptica».

Pinterest Google+
PUB

Um fotógrafo parisience divulgou recentemente as fotografias que tirou ao ‘Nara Dreamland’, um parque temático japonês abandonado por uma década antes de finalmente ser demolido em 2016. As imagens arrepiantes mostram o contransenso entre o outrora parque cheio de vida e as carcaças dos carrosséis abandonados no silêncio da vegetação.

 

Romain Veillon tem viajado pelo mundo em busca de prédios e monumentos abandonados, captando imagens fascinantes de lugares esquecidos e abandonados pelo homem. ‘Nara Dreamland’ é um deles. «Cada fotografia tem sua própria história e convida-nos a mergulhar nela em busca dos seus fantasmas do passado. A sua obra levanta questões sobre a relação entre o homem e o seu ambiente numa sociedade onde as mudanças recentes nos levam a refletir sobre as nossas ações passadas e as suas consequências no futuro», pode ler-se na biografia do fotógrafo.

 

Veja também: Os parques de diversões mais incríveis da Europa

 

Em entrevista à CNN sobre o seu trabalho no ‘Nara Dreamland’, Veillon confessou que  este parque estava no topo da lista quando decidiu viajar pelo Japão. Lá chegado, entrou pela porta da frente como o público habitualmente fazia e viu os passeios e as estruturas consumidas pela vegetação. «Aquele ambiente fez-me sentir quase nostálgico. Fez-me querer ouvir o som de crianças a gritar e as famílias a divertirem-se. Havia uma incrível sensação de admiração», cita o site do canal de notícias norte-americano.

 

Veja também: Os melhores parques aquáticos do mundo

 

Na entrevista, quando questionado sobre a sua fotografia favorita, Romain não precisou de pensar muito. É a imagem da montanha-russa com grandes espirais, «porque se pode ver a vegetação a consumir lentamente a montanha-russa, como se fosse comê-la».

 

Veja na galeria acima as imagens do parque consumido pela vegetação agora divulgadas.

Artigo anterior

Gémeos da Dsquared2 lançam clube privado de bem-estar

Próximo artigo

Culinária da Madeira à prova até 3 de março