Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Fórum das Florestas: novo relatório insta à urgência de proteção e conservação das florestas

Fórum das Florestas: novo relatório insta à urgência de proteção e conservação das florestas

Esta é a primeira avaliação que mostra como o mundo está a implementar o Plano Estratégico das Nações Unidas para as Florestas 2030. A 16 sessão do Fórum das Nações Unidas sobre Florestas decorre de 26 a 30 de abril.

Pinterest Google+
PUB

A Organização das Nações Unidas lança um novo relatório, no decorrer do 16º Fórum das Florestas a ter lugar entre 26 a 30 de abril, que confirma a necessidade urgente de tomada de medidas de  proteção e conservação das florestas no mundo.

 

Esta é a primeira avaliação que mostra como o mundo está a implementar o Plano Estratégico das Nações Unidas para as Florestas 2030. Adotado há quatro anos, o Plano é um projeto com seis Metas Florestais Globais e 26 alvos, com uma visão para um futuro onde todos os tipos de florestas e árvores sejam geridos de forma sustentável. Este Plano é parte integrante do cumprimento da Agenda 2030 para a Sustentabilidade.

 

A ONU lembra que a gestão sustentável das florestas e o uso dos seus recursos são essenciais para combater as alterações climáticas. «Exorto todos os atores, incluindo governos, a comunidade empresarial e a sociedade civil, a tomar medidas urgentes para conter o desmatamento, prevenir a degradação e restaurar as florestas», declara Antonio Guterres, secretário-geral da ONU.

 

VEJA TAMBÉM: QUANTO VALE UMA FLORESTA? ESPANHA DESENVOLVE FERRAMENTA QUE ESTIMA VALOR ECONÓMICO DOS RECURSOS NATURAIS

 

Mais de dois mil milhões de toneladas de dióxido de carbono são anualmente absorvidas pelas florestas, que purificam o ar e a água, fornecem alimentos, remédios e abrigam a biodiversidade. As florestas absorvem um terço das emissões globais de gases de efeito estufa e são o lar de 80 por cento de todas as espécies terrestres conhecidas. Porém, a velocidade de extinção de espécies é de cerca de 100 a 1000 vezes maiores do que a taxa de referência.

 

Além disso, cerca de 1,6 mil milhões de pessoas em todo o mundo dependem diretamente das florestas para obter alimentos, abrigo, energia, medicamentos e rendimentos.

 

«As florestas continuam sob ameaça. Todos os anos, sete milhões de hectares de florestas naturais são convertidos para outros usos da terra, como o comércio agrícola em grande escala e outras atividades económicas. E embora a taxa global de desmatamento tenha diminuído na última década, continuamos a perder florestas nos trópicos – em grande parte devido a causas humanas e naturais», declara Liu Zhenmin, subsecretário-Geral para os Assuntos Económicos e Sociais da ONU.

 

Quanto aos efeitos da pandemia na preservação das florestas, Zhenmin declara: «De momento, ainda é muito cedo para avaliar o impacto total da atual pandemia nas florestas do mundo. No entanto, existem indicações de que a pandemia está a exacerbar os desafios enfrentados pelos países na gestão das suas florestas. O bem-estar das florestas está, em última análise, ligado ao bem-estar das pessoas e os impactos socioeconómicos da pandemia, sem dúvida, afetam a nossa capacidade de gerir as florestas do mundo de forma sustentável».

 

VEJA TAMBÉM:

CRESCIMENTO URBANO DISPERSO AMEAÇA ÁREAS PROTEGIDAS DA REDE NATURA 2000

FUNCIONAMENTO ECOLÓGICO DAS COMUNIDADES DE MAMÍFEROS PERMANECE ESTÁVEL MESMO QUE AS ESPÉCIES MUDEM

ONU RECORRE À INTELIGÊNCIA ARTIFICIAL EM NOVO PROJETO DE COMBATE À POLUIÇÃO POR PLÁSTICO

CIENTISTAS IDENTIFICAM PELA PRIMEIRA VEZ AS 272 ESPÉCIES INVASORAS EM ÁGUAS INTERIORES DE PORTUGAL E DE ESPANHA

 

Artigo anterior

Síndrome pré-menstrual: causas, sintomas e tratamentos

Próximo artigo

Não tenha medo da gordura, tenha cuidado com os hidratos de carbono