Home»FOTOS»Festival do Contrabando recorda práticas antigas em Alcoutim e Sanlúcar

Festival do Contrabando recorda práticas antigas em Alcoutim e Sanlúcar

A terceira edição do Festival do Contrabando decorre de 29 a 31 de março, em Alcoutim (Portugal) e Sanlúcar de Guadiana (Espanha). Um mercado de época, bandas de música de rua, oficinas de artesanato e gastronomia local são algumas das atrações propostas para recordar aquele que foi o modo de vida de muitas pessoas desta região no passado.

Pinterest Google+

A terceira edição do Festival do Contrabando une Portugal e Espanha num evento que decorre de 29 a 31  de março, em Alcoutim (Portugal) e Sanlúcar de Guadiana (Espanha). O festival propõe a todos os visitantes a um mercado de época, gastronomia local, desfiles etnográficos, teatro de rua, bandas de música de rua, oficinas de artesanato e muita mais animação. (Veja algumas imagens de edições passadas na galeria acima).

 

Aquele que foi um modo de vida na região raiana é agora recordado: «Aromas de café, amêndoa, tabaco, sons de acordeão e fandangos, estórias de paixões além fronteira, azáfama nos mercados rurais da serra, combinações secretas nas tabernas da região, originam conflitos onde se misturam sentimentos, interesses e sonhos. O contrabandista com as sacas pesadas que carregam às costas não transportam só mercadorias que passam a fronteira … levam sonhos, fantasias e a ambição de uma vida melhor», refere a Câmara Municipal de Alcoutim, no seu site oficial.

 

VEJA TAMBÉM: PRAIA FLUVIAL DE ALCOUTIM, UM MERGULHO NO ALGARVE SERRANO

 

O contrabando é memória coletiva, intemporal, e regressa à região com a importância que se atribui ao património cultural e a identidade social conquista uma dinâmica original envolta na arte e cultura. O contrabando foi a “arte” de comercializar às escondidas dos olhos da lei e dos governos, respondendo às necessidades e dificuldades das gentes raianas. Alimentos básicos como ovos, farinha e amêndoas eram transportados, pela calada da noite, de um lado ao outro da fronteira. Para além dos bens materiais, partilharam-se sentimentos, conhecimentos e alimentaram-se sonhos.

 

A edição deste ano reunirá dezenas de propostas, entre música, artes circenses, artes plásticas, teatro, que darão largas à imaginação, evocando vários temas ligados ao património sociocultural e às tradições da região de Alcoutim e Sanlúcar de Guadiana, no contrabando e na sua importância para a região.

 

VEJA TAMBÉM: MÉRTOLA: PELOS CAMINHOS PERDIDOS DO CONTRABANDO

 

A realização de espetáculos de rua (música, artes circenses, teatro, etc), com artistas de âmbito nacional e internacional, com palcos distribuídos pela zona histórica das duas vilas, em zonas de relevante interesse cénico, o Rio Guadiana, são atrativos para a visita ao festival. Pelas ruas, encontram-se também o mercado de ofícios, a feira, numerosos artistas em movimento, tabernas e barraquinhas com a gastronomia local.

 

Para aceder ao programa completo destes três dias de festa, clique aqui.

 

 

Artigo anterior

De dieta? Como tornar uma salada deliciosa

Próximo artigo

Hora de verão: saiba como atenuar a transição