Home»FOTOS»Festival do Cogumelo está de volta ao Fundão

Festival do Cogumelo está de volta ao Fundão

Nos dias 16, 17 e 18 de novembro, a aldeia do concelho do Fundão, Alcaide, recebe um dos festivais mais emblemáticos da região. E, claro, não vão faltar as múltiplas formas de comer cogumelos. O mega-almoço de arroz de cogumelos é dos momentos mais aguardados e está marcado para domingo.

Pinterest Google+

A décima edição do Míscaros – Festival do Cogumelo realiza-se em Alcaide, município do Fundão, nos próximos dias 16, 17 e 18  de novembro, com gastronomia, exposições, workshops, passeios micológicos, live cookings e animação de rua, este ano subordinados ao tema do mistério, o que poderá ser reconhecido na decoração e instalações artísticas expostas na aldeia.

 

Este evento é organizado pela Liga dos Amigos do Alcaide, em conjunto com a Câmara Municipal do Fundão e a Junta de Freguesia do Alcaide, com o objetivo de promover o património fúngico do país, com mais de 300 espécies, no qual se destacam os míscaros, que nascem nas encostas da Serra da Gardunha. Veja algumas imagens do festival na galeria acima.

 

Os 10 anos do Míscaros serão celebrados não só com as habituais atividades lúdicas e culturais em homenagem ao património paisagístico, cultural e ambiental do Alcaide e de toda a Serra da Gardunha, mas este ano também com algumas novidades, como o Mercado da República, um novo espaço de degustação, onde os visitantes poderão provar, mediante aquisição de fichas, as propostas gastronómicas dos vários chefs, que podem acompanhar com vinhos, cocktails e cervejas artesanais disponíveis no mesmo espaço.

 

VEJA TAMBÉM: COGUMELOS: VÁRIOS BENEFÍCIOS E MUITAS VARIEDADES

 

«O sucesso do Festival do Cogumelo deve-se às pessoas, ao envolvimento da comunidade local que ao longo destes 10 anos tem sido a principal razão para o sucesso deste evento de tão grande importância para a economia da região», refere Miguel Gavinhos, vice-presidente da Câmara Municipal do Fundão.

 

Durante três dias, os visitantes do Festival do Cogumelo poderão aproveitar toda a envolvente natural da encosta da Gardunha, divertir-se com a animação de rua, participar em workshops, e degustar variadas receitas de cogumelos, e de outras especialidades da região, nas cerca de 60 tasquinhas típicas da aldeia, especialmente preparadas para a ocasião. Poderão ainda participar num dos vários passeios micológicos, ou assistir a live cookings dos vários chefs presentes: Chakall, Joe Best, Miguel Gameiro, Mário Rui Ramos, Rodrigo Alves e Duarte Batista (estes dois são filhos da terra) e o jovem João Mata.

 

A grande atração deste festival, dedicado a este tão saboroso alimento, é o mega almoço de arroz de cogumelos, que se realiza no domingo, e que faz as delícias de todos aqueles que vão até ao Alcaide. Tal como o espaço das crianças – a Miscolândia – faz as delícias dos mais novos, ao mesmo tempo que os ensina e sensibiliza para a causa ecológica.

 

VEJA TAMBÉM: COGUMELOS RECHEADOS: SAUDÁVEIS E DELICIOSOS PARA UMA MESA BEM POSTA

 

A exemplo de edições anteriores, o festival mantem muito presente esta preocupação ambiental, pelo que todo o material utilizado é biodegradável, dos pratos recicláveis aos copos inteiramente de origem vegetal, com base em ácido poliláctico (PLA), que requerem baixo consumo energético na sua produção e que, após utilização, podem ser reciclados ou decompostos, num período entre 45 a 60 dias.

 

Sendo o Míscaros um festival com forte cariz social, a edição deste ano apoia a CLR Project, uma ONGD de intervenção humanitária e social em Portugal e África, sobretudo com crianças, onde apenas trabalham voluntários. E no âmbito desta campanha solidária realiza-se uma ação de angariação de fundos “ALCAIDE SOLIDÁRIO – JUNTOS POR UM AMIGO”, no dia 17 de novembro às 23h30, altura em que será lançado no céu um “Cogumelo Mealheiro”, uma lanterna biodegradável, e em que todos poderão contribuir com € 3,00, dos quais 50% revertem para o projeto solidário.

Artigo anterior

Festival Mental discute saúde mental dos portugueses em várias plataformas

Próximo artigo

Aldeias Históricas de Portugal vão ser mais acessíveis e inclusivas