Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Festival Adega Típica: o ritual de ir à adega de volta a Proença-a-Nova

Festival Adega Típica: o ritual de ir à adega de volta a Proença-a-Nova

O festival que acontece a cada dois anos pretende promover o antigo ritual de ir a adega, como centro da aldeia, onde se fechavam negócios e se trocavam boas e más notícias. Esta segunda edição decorre a 14 e 15 de abril.

Pinterest Google+

A 14 e 15 de abril, o Parque Urbano Comendador João Martins, em Proença-a-Nova, recebe a segunda edição do Festival Gastronómico Adega Típica, recriando esta tradição tão característica das aldeias do concelho, uma prática sempre acompanhada de iguarias únicas como queijo, presunto, enchidos, pão e broa caseiros, peixe do rio frito, maranho ou enchidos assados.

 

Este festival gastronómico que se realiza de dois em dois anos, volta a promover ao ritual de ir à adega: era nas adegas que se fechavam negócios, que se celebravam boas notícias e consolavam as más, era local privilegiado de convívio e partilha de sabedoria popular.

 

VEJA TAMBÉM: QUER FAZER UMA VIAGEM AOS SABORES DE ANTIGAMENTE?

 

Para além da vertente gastronómica, este festival inclui animação de rua, concertos, entre outras atividades desportivas. Em destaque na noite de sábado está o concerto da banda Sons do Minho, que trará o som característico e tradicional das concertinas, ao qual se junta um repertório de músicas de cariz popular, resultando num espetáculo animado e bem-disposto.

 

A abertura deste festival está marcada para as 15 horas de sábado com uma arruada com os Bombos da Casa do Benfica de Proença-a-Nova, seguida do atelier gastronómico “O Queijo”, uma das iniciativas integradas no Projeto Beira Baixa Cultural – cofinanciado no âmbito do Centro 2020, Portugal 2020 e Fundo Europeu de Desenvolvimento Regional da União Europeia.

 

VEJA TAMBÉM: MÉRTOLA: PELOS CAMINHOS PERDIDOS DO CONTRABANDO

 

Nesta oficina, os participantes irão descobrir os truques e as técnicas da confeção do queijo, explorando o leite, o coalho e os utensílios indispensáveis nesta tarefa. Ordenhar, coalhar o leite e prensar o queijo com as mãos até conseguir a forma certa. Haverá ainda a harmonização de queijo com vinho e outros alimentos de maneira a potenciar o sabor de um produto que tem importância incontornável na cultura gastronómica.

 

A manhã de domingo inclui a 2ª edição do Grande Prémio da Cortiçada, uma prova de atletismo promovida pela Associação Desportiva e Cultural de Proença-a-Nova com o apoio do Município. No domingo serão também conhecidos os vencedores do concurso “Os Melhores Vinhos do Concelho de Proença-a-Nova”, numa organização do Centro Ciência Viva da Floresta, em parceria com o Município e a CIMBB – Comunidade Intermunicipal da Beira Baixa, financiado no âmbito do PROVERE e Centro 2020 da União Europeia. A tarde será animada com a atuação de grupos de ranchos folclóricos da região, terminando com a Orquestra de Harmónicas de Ponte de Sôr e o grupo Seca Adegas.

 

Artigo anterior

Quer ser mais feliz? A ciência afirma que a fórmula está no exercício físico

Próximo artigo

O que não pode perder em Aveiro