Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Feno grego: sabor e versatilidade terapêutica na Ayurveda

Feno grego: sabor e versatilidade terapêutica na Ayurveda

É analgésico, antisséptico, anti-inflamatório, emoliente, expetorante, reconstituinte, tónico e calmante. E estas são apenas algumas das suas propriedades. Descubra mais sobre esta especiaria culinária e planta medicinal.

Pinterest Google+
PUB

Funções terapêuticas

O feno-grego é analgésico, galactagogo, fortalecedor, antisséptico, anti-inflamatório, emoliente, expetorante, reconstituinte, tónico e calmante. O feno-grego em pó é útil em condições dolorosas associadas a inflamações e abcessos. Tomado por via oral para problemas digestivos, como perda de apetite, dor de estômago, prisão de ventre, inflamação do estômago (gastrite). O feno-grego também é usado para diabetes, menstruação dolorosa, inchaço, síndrome dos ovários poliquísticos, artrite, tiroide deficiente, obesidade. Também é usado para condições que afetam a saúde do coração, como “endurecimento das artérias” (arterosclerose) e para níveis elevados de certas gorduras no sangue, incluindo colesterol e triglicerídeos. Mantém o sistema nervoso saudável.

 

A mucilagem do feno-grego ajuda a pele a se manter jovem e hidratadae também contribui para o bom funcionamento dos intestinos. Em geral, o feno-grego ajuda a manter os níveis estáveis de triglicéridos, colesterol e açúcar no sangue. O feno-grego é usado para doenças renais, úlceras na boca, furúnculos, bronquite, infecção dos tecidos sob a superfície da pele (celulite), tuberculose, tosse crónica, lábios rachados, calvície, cancro e Parkinson. O feno-grego parece retardar a absorção de açúcares no estômago e estimular a insulina. Ambos os efeitos diminuem o açúcar no sangue em pessoas com diabetes.

 

Alguns homens usam o feno-grego para a hérnia, a disfunção erétil (DE), a infertilidade masculina e outros problemas masculinos, e é usado para melhorar o apetite sexual. Ajuda também a promover o fluxo de leite nas mulheres que estão a amamentar, e diminuir a TPM. Além disso, é recomendado também para combater ondas de calor típicas da menopausa, insónia, suores noturnos e alterações de humor.

 

A ingestão de feno-grego é recomendada especialmente quando a pessoa se sente fraca, debilitada, convalescente, no pós-parto, e na presença de anemia por deficiência de ferro, uma vez que estimula o apetite, e pode ajudar o nosso corpo a aumentar a produção de células vermelhas do sangue. Por vezes, o feno-grego é usado como emplastro, embrulhado num pano, aquecido e aplicado diretamente na pele para tratar dores e inchaços locais (inflamação), dores musculares, dor e inchaço dos gânglios linfáticos (linfadenite), dor nos dedos dos pés (gota), feridas, pernas úlceras e eczema.

 

Como tomar o feno-grego

É necessário consultar um médico ou fitoterapeuta para recomendar adequadamente a ingestão do feno-grego. Normalmente, a ingestão de feno-grego como suplemento – extrato líquido ou cápsulas – ocorre antes da refeição principal, embora idealmente deva ser seguida a recomendação do terapeuta. No Dravyaguna Vijnana, Herbologia Ayurvédica, recomenda-se a toma de  1-3 gramas. A fórmula mais conhecida de feno-grego é a Methi modaka.

 

Possíveis efeitos colaterais do feno-grego

É rakta pitta prakopaka (o que significa que pode agravar distúrbios hemorrágicos) e é contra-indicado em rakta pitta. Pode aumentar a atividade anticoagulante de outras ervas e medicamentos como heparina, varfarina e ticlopidina. O feno-grego não deve ser usado em pacientes que necessitem de anticoagulantes. Pode aumentar o risco de hemorragia, e reduzir os níveis de potássio no sangue. Pode causar fezes soltas ou diarreia em algumas mulheres. Pode causar inchaço facial, erupções cutâneas, urticária e dificuldade em respirar (no caso de alergia). Às vezes, pode produzir contrações uterinas ou hipoglicemia em mulheres grávidas. Também pode interferir com medicamentos diabéticos, pois possui uma atividade hipoglicémica conhecida. Os diabéticos devem tomar o feno-grego fitoterápico sob supervisão médica.

 

Artigo anterior

No mês das castanhas… não lhe faltam festas, feiras e festivais dedicados

Próximo artigo

Camiões do lixo da Maia apresentam exposição itinerante do World Press Photo 2019