Home»BEM-ESTAR»SAÚDE»Faça uma mamografia e previna-se

Faça uma mamografia e previna-se

Em Portugal, morrem diariamente quatro mulheres com cancro da mama. Números que exigem uma consicencialização da sociedade para a necessidade da prevenção. A 30 de outubro, assinala-se o Dia Nacional de Prevenção do Cancro da Mama. Cuide de si.

Pinterest Google+
PUB

Os factos da realidade portuguesa são estes: com uma população feminina de cinco milhões, surgem 6000 novos casos de cancro da mama por ano, ou seja, 11 novos casos por dia, morrendo diariamente quatro mulheres com esta doença, revela a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC).

 

O cancro da mama é um dos tipos de cancro mais comum entre as mulheres e, como tal, é uma das doenças com maior impacto na sociedade atual e uma doença que amedronta muitas mulheres.

 

Veja também: Fátima Cardoso: «O cancro é a nova epidemia»

 

Os valores alarmantes obrigam à execução de exames regulares que confirmem ou neguem a doença. A mamografia é o exame que permite dar essa informação. Quando o diagnóstico é dado cedo, o cancro da mama tem elevadas hipóteses de ser curado.

 

A altura de iniciar o rastreio depende do país. Em Portugal, a Liga Portuguesa Contra o Cancro (LPCC) aconselha que se inicie o rastreio por volta dos 40-45 anos. No caso de ter um historial familiar com esta doença, o melhor será fazer o primeiro exame mais cedo. Depois da primeira mamografia, e mediante os resultados, o médico assistente indicará a periodicidade deste rastreio daí para a frente.

 

Veja também: Gestão emocional do cancro da mama

 

«São conhecidos alguns factores de risco para o cancro da mama, muito associados aos estilos de vida e a características reprodutivas inerentes à vida moderna e ocidentalizada. De notar que há entre 5 a 10% dos cancros da mama diagnosticados que aparentam características genéticas e hereditárias que, caso sejam confirmadas, obrigam a um acompanhamento mais precoce e cuidadoso das familiares», refere a LPCC.

 

Contudo, a vigilânica deve começar antes, em casa. Certamente que numa consulta de ginecologia o seu médico já a aconselhou a fazer a palpação da mama com frequência. No entanto, os caroços na mama ou sob os braços não são os únicos sinais de que algo pode estar errado. «Alguns dos sinais de alerta do cancro da mama incluem comichão ou descarga sangrenta do mamilo, inversão do mamilo, pele enrugada na mama, vermelhidão indolor ao redor da mama ou uma mudança no volume damesma», eclarece Erica Stringer-Reasor, professora assistente na divisão de Hematologia e Oncologia da Universidade de Alabama, EUA, num comunicado à imprensa.

Artigo anterior

Conhece os seus números?

Próximo artigo

Coração e hipertensão