Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Fábrica de brinquedos (reciclados) do Pai Natal muda-se para a Universidade de Aveiro

Fábrica de brinquedos (reciclados) do Pai Natal muda-se para a Universidade de Aveiro

Dezenas de carros, motas, comboios, jogos, instrumentos musicais, bonecas e muito mais ganharão uma nova vida nas mãos destas crianças.

Pinterest Google+

Brinquedos estragados e em segunda mão estão a ser arranjados pelas mãos dos estudantes do Departamento de Eletrónica, Telecomunicações e Informática (DETI) da Universidade de Aveiro (UA) e serão doados à Pediatria do Hospital Infante D. Pedro e à Cáritas Diocesana, em Aveiro.

 

Esta é uma iniciativa solidária que pretende dar um sorriso às crianças cujos pais passam por dificuldades económicas enquanto cultiva a partilha de experiências e de conhecimento entre estudantes e futuros engenheiros eletrónicos.

 

Veja também: Neste natal ensine a dar

 

A decorrer desde novembro, o projeto – ‘ShareToy’ – apelou, numa primeira fase, à comunidade académica para doar brinquedos usados, mesmo que estragados. Agora só falta fazer o diagnóstico a centenas de brinquedos e jogos oferecidos e posteriormente repará-los, evitando, assim, irem para o lixo.

 

«Para além de querermos melhorar o Natal de muitas crianças com a entrega dos brinquedos recolhidos, queremos também que esta iniciativa tenha um caráter pedagógico para os estudantes da UA», apontam os responsáveis pela iniciativa, Pedro Magalhães e Miguel Ferreira, respetivamente do Institute of Electrical and Electronics Engineers (IEEE) Student Branch da Universidade de Aveiro e do Núcleo de Robótica Diversificada (NERD).

 

Veja também: Sugestões para presentes de natal

 

Para quem quiser ajudar ainda pode fazê-lo, seja com a entrega de brinquedos, seja com uma mãozinha. Existem vários pontos de recolha espalhados por todo o campus universitário e toda a ajuda nas oficinas, que abrem as portas todas as quartas feiras, é muito bem-vinda.

 

Para além das reparações, os estudantes estão também a adaptar alguns brinquedos eletrónicos de forma a que possam ser utilizados por crianças com necessidades educativas especiais.

Artigo anterior

Josefinas desenvolvem aplicação para iOS 10

Próximo artigo

Lançada a primeira linha telefónica de assistência em saúde veterinária