Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Europa chega a acordo final sobre fim das taxas de roaming e estipula preços

Europa chega a acordo final sobre fim das taxas de roaming e estipula preços

Como último passo para o fim das tarifas de roaming até 15 de junho de 2017, represen-tantes do Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão acordaram ontem os valores a serem cobrados quando os utilizadores recorrem a redes de comunicação de outros países.

Pinterest Google+
PUB

Os vários negociadores envolvidos no dossier de redução das taxas de roaming na Europa chegaram ontem ao final da tarde a acordo sobre os preços a serem cobrados por este serviço a partir de 15 de junho de 2017.

 

Segundo comunicado hoje divulgado pela Comissão Europeia, os limites máximos serão de 3,2 cêntimos por minuto de chamada de voz e 1 cêntimo por SMS, a partir de 15 de junho de 2017.

 

Veja também: Dicas para conseguir afastar-se do seu smartphone

 

Quanto aos dados, os representantes do Parlamento Europeu, do Conselho e da Comissão acordaram que a redução será gradual em cinco anos: diminui de € 7,7 por GB (a partir de 15 de junho de 2017) para € 6 por GB (a partir de 1 de janeiro de 2018), € 4,5 por GB (a partir de 1 de janeiro de 2019) 3,5 por GB (a partir de 1 de janeiro de 2020), 3 € por GB (a partir de 1 de janeiro de 2021) e 2,5 € por GB (a partir de 1 de janeiro de 2022).

 

Andrus Ansip, vice-presidente do Mercado Digital Único, congratulou-se com o acordo: «Esta foi a última peça do puzzle: a partir de 15 de junho, os europeus poderão viajar na UE sem tarifas de roaming. Também assegurámos que os operadores vão poder continuar a competir para fornecerem as ofertas mais atrativas nos seus mercados».

 

Veja também: Está viciado nas redes sociais? Faça o teste

 

Isto significa que «ao viajarem pela União Europeia, os consumidores vão poder telefonar, enviar SMS e navegar na Internet ao mesmo preço que pagam em casa. O acordo torna o serviço sustentável para pessoas e negócios», acrescentou.

 

O próximo passo será a aprovação formal do acordo pelo Parlamento Europeu e pelo Conselho, para entrar em vigor a partir de 15 de junho.

 

 

 

Artigo anterior

Uma em cada 10 mulheres considera o sexo doloroso, diz estudo

Próximo artigo

Neste restaurante tem de mergulhar para comer