Home»ATUALIDADE»ENTREVISTAS»Estêvão Lima: «Praticamente todas as próstatas vão crescer, em princípio, por fatores genéticos»

Estêvão Lima: «Praticamente todas as próstatas vão crescer, em princípio, por fatores genéticos»

A hiperplasia benigna da próstata afeta 70% dos homens com mais de 65 anos. Pode surgir até mais cedo e costuma ser motivo de preocupação e desconforto para os homens. Questionámos Estêvão Lima, diretor do Departamento de Urologia da CUF e do Serviço de Urologia do Hospital de Braga, sobre as dúvidas mais frequentes.

Pinterest Google+
PUB

Como se diferencia esta doença do cancro da próstata? Existe alguma confusão?

São patologias completamente diferentes e não existe qualquer relação entre estas duas entidades clinicas. A existência de HBP não aumenta o risco para desenvolver cancro da próstata. Além disso, 70% dos cancros da próstata tem origem na zona periférica da próstata não causando qualquer sintomatologia até fases muito avançadas da doença ao contrário da HBP.

 

Os homens portugueses são atentos a esta condição e tratam-se ou existem muitos não diagnosticados?

Cada vez mais os homens portugueses são tratados em fases mais precoces porque são muito bem acompanhados pelos médicos de família.

 

Que impacto esta doença tem na vida familiar, social e profissional do homem?

Pode ter muito impacto, porque pode interferir na qualidade do sono, pela necessidade de acordar para urinar, e mesmo durante o dia pela necessidade de ir frequentemente à casa de banho.

 

Veja também: Idas noturnas à casa de banho relacionadas com excesso de ingestão de sal

 

Existe solução definitiva? Ou seja, é possível corrigir totalmente o problema?

Sim. Nas fases iniciais da sintomatologia com o tratamento médico e nas fases mais avançadas com o tratamento cirúrgico.

 

É inevitável com o avançar da idade que se desenvolva algum problema na próstata? Qual a percentagem de homens com problemas?

Em Portugal esta doença afeta 70% dos homens com mais de 65 anos e 80% dos homens entre os 70 e os 80 anos.

 

Há alguma forma de prevenir esta doença?

Não. Até hoje nunca foi demonstrado que os hábitos de vida possam interferir no aparecimento de HBP. No entanto, a Escola de Medicina da Universidade do Minho tem sido pioneira na descoberta da causa da HBP por causa dos trabalhos de investigação do Dr. Emanuel Dias, que recentemente descobriu que a serotonina libertada pelas células neuroendócrinas inibe o crescimento da próstata. Assim, não se sabe se fatores ambientais que interfiram com as vias serotoninegicas não poderão interferir com o aparecimento da HBP.

 

À luz dos tratamentos atuais, existe forma de os homens viverem tranquilamente com este problema para o resto da vida?

Sim, sem dúvida tudo depende da gravidade dos sintomas e da fase em que se iniciou o tratamento.

Artigo anterior

O mundo a duas velocidades

Próximo artigo

Tomar recebe recordista mundial de imobilidade