Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Escolas públicas vão ter reforço de nutricionistas para melhorar alimentação oferecida

Escolas públicas vão ter reforço de nutricionistas para melhorar alimentação oferecida

A proposta aprovada na Assembleia da República prevê a contratação de 15 nutricionistas para o Ministério da Educação. Atualmente só existem dois nutricionistas em todas as escolas públicas portuguesas.

Pinterest Google+
PUB

A Assembleia da República aprovou o reforço de nutricionistas nas escolas públicas, informa a Ordem dos Nutricionistas. Uma proposta que vinha defendido junto do Governo e da Assembleia da República há vários anos. A votação, na especialidade, das propostas de alteração do Orçamento do Estado para 2020 decorreu na última terça-feira.

 

A proposta aprovada prevê a contratação de 15 nutricionistas para o Ministério da Educação, com o objetivo de melhorar a alimentação nos estabelecimentos de ensino. É um importante reforço visto que o Ministério da Educação, na atualidade, só tem dois nutricionistas em todas as escolas públicas portuguesas. Esta foi uma iniciativa do PAN e contou com os votos a favor do PS, BE e Chega, com votos contra do CDS e com a abstenção do PSD, PCP e Iniciativa Liberal.

 

VEJA TAMBÉM: LANCHES SAUDÁVEIS (E DELICIOSOS) PARA CRIANÇAS

 

Foram também aprovadas duas normas de uma outra proposta relacionada com os produtos alimentares disponibilizados nas escolas, nomeadamente nas máquinas de venda automática e nos bufetes, pretendendo promover hábitos alimentares saudáveis.

 

Já em fevereiro de 2018 a Ordem dos Nutricionistas apresentou uma proposta ao Ministério da Educação, com uma estratégia para a promoção da alimentação saudável nas escolas, alertando para a necessidade de integrar nutricionistas nas escolas em todo o país. Estes profissionais devem ter uma intervenção ao nível da comunidade escolar, promovendo a informação e capacitação para escolhas alimentares saudáveis e ao nível do ambiente alimentar escolar, zelando pela garantia do controlo da adequação alimentar e nutricional da oferta alimentar nas escolas e a respetiva monitorização e fiscalização.

 

VEJA TAMBÉM: DIVERTIDOS E NUTRITIVOS: OS LANCHES QUE OS MAIS PEQUENOS VÃO QUERER LEVAR PARA A ESCOLA

 

«Esta terça-feira, dois anos após termos apresentado uma proposta concreta ao Ministério da Educação, a Assembleia da República dá um passo importantíssimo para a melhoria da saúde e dos hábitos alimentares das nossas crianças. É precisamente nestas faixas etárias que devemos direcionar maiores esforços e a escola é o local privilegiado, onde as crianças e adolescentes podem adquirir conhecimentos e competências para a adoção de comportamentos alimentares mais saudáveis», salienta Alexandra Bento, bastonária da Ordem dos Nutricionistas.

 

Alexandra Bento reforça que «este é o reconhecimento da importância dos nutricionistas para a promoção da alimentação saudável em idade escolar. Temos vindo a alertar para o papel excessivamente reativo do Governo nesta matéria e, que tal, deve ser substituído por uma estratégia concertada, de longo prazo, assente na promoção da alimentação saudável na escola, com a inclusão de nutricionistas.»

 

 

Recorde-se que esta medida já havia sido recomendada ao Governo em Resolução da Assembleia da República de 2012 e, até ao momento, não tinham sido desencadeados quaisquer esforços nesse sentido, apesar de todos os esforços desenvolvidos pela Ordem dos Nutricionistas, inclusive com a apresentação de uma estratégia concreta ao Governo, em 2018.

 

 

 

Artigo anterior

“The Art of Tasting Portugal”, o projeto que agrega o melhor da gastronomia portuguesa

Próximo artigo

Funchal recebe ciclo de jantares dedicados aos sabores da Madeira