Home»BEM-ESTAR»NUTRIÇÃO»Ervas aromáticas e especiarias no controlo da hipertensão

Ervas aromáticas e especiarias no controlo da hipertensão

O consumo excessivo de sal é uma das principais causas para o desenvolvimento desta patologia. Uma das formas que permite a redução da ingestão de sal é o uso de ervas e especiarias nos seus cozinhados.

Pinterest Google+
PUB

O Dia Mundial da Hipertensão, comemorado a 17 de maio, tem como objetivo sensibilizar a população no sentido de prevenir e controlar o desenvolvimento desta patologia.

 

A hipertensão arterial (HTA) é definida como a elevação persistente da pressão arterial acima dos valores considerados normais, e constitui um grave problema de saúde pública, afetando cerca de 36% da população adulta portuguesa.

 

Há muito que estão identificados os fatores de risco que podem aumentar a probabilidade de desenvolvimento de HTA. Alguns não podem ser controlados, como a idade e a história familiar. Mas outros, relacionados com comportamentos e estilos de vida pouco saudáveis, como a ingestão excessiva de sal, quando corrigidos, poderão prevenir o seu aparecimento e controlo.

 

VEJA TAMBÉM: ERVAS E ESPECIARIAS QUE BENEFICIAM A SAÚDE

 

A ajuda das aromáticas e das especiarias

O consumo excessivo de sal é uma das principais causas para o desenvolvimento desta patologia. Uma das formas que permite a redução da ingestão de sal é o uso de ervas e especiarias nos seus cozinhados. Temperar a sua comida generosamente com ervas e especiarias é uma ótima forma de tornar as suas refeições mais saborosas e de reduzir a pressão arterial.

 

Conhece as vantagens do uso de ervas e especiarias nos seus cozinhados em vez do sal? Por um lado, o uso destes ingredientes potência a redução da ingestão de sal o que, por sua vez, reduz a pressão arterial; as refeições ficam mais saborosas, coloridas e apelativas e a sua ingestão assume um potencial terapêutico na Diabetes, dislipidemia e inflamação.

 

Deixo alguns exemplos de como pode incorporá-las em diferentes tipos de pratos e alimentos:

 

Pratos de carne: Cominhos, caril, cravinho, gengibre, malagueta, paprica, pimenta, coentros, louro, orégãos, salsa, tomilho;

 

Pratos de peixe: Caril, noz-moscada, pimenta, coentros, funcho, louro, salsa, tomilho;

 

Sopas: Açafrão, pimenta, coentros, hortelã-pimenta, orégãos, salsa, tomilho;

 

Legumes: Malagueta, paprica, pimenta, coentros, funcho, louro, tomilho;

 

Saladas: Mostarda, pimenta, cebolinho, coentros, hortelã-pimenta, manjericão, salsa, tomilho;

Mas tão importante como uma ingestão controlada de sal é manter um estilo de vida saudável, por isso:

– Evite o consumo de álcool;

– Consuma diariamente frutas e vegetais variados;

– Pratique exercício físico moderado e regular;

– Mantenha um peso saudável;

– Não fume;

– Procure ter momentos de relaxamento no dia a dia.

 

Relembro que dados recentes apontam que o consumo de sal, pela população portuguesa, se mantém consideravelmente superior aos valores recomendados pela Organização Mundial de Saúde (5g por dia).

 

A redução do consumo de sal diário para valores inferiores a 5g, permitiria diminuir em 23% o risco de Acidente Vascular Cerebral (AVC) e em 17% o risco de desenvolver doença cardiovascular. Ponha hoje mesmo em prática novos hábitos alimentares.

 

A HTA constitui um dos principais fatores de risco para o desenvolvimento de doenças cardiovasculares e cerebrovasculares, principalmente do enfarte agudo do miocárdio e AVC, duas das principais causas de mortalidade e morbilidade a nível mundial e também em Portugal.

 

 

Por Marcelo Dias

Nutricionista Farmácias Holon

 

 

Artigo anterior

Não suporto a família do meu parceiro, e agora?

Próximo artigo

Estarei a hidratar-me o suficiente?