Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Em 2050 seremos 9,7 mil milhões de humanos na Terra e em 2100 11 mil milhões

Em 2050 seremos 9,7 mil milhões de humanos na Terra e em 2100 11 mil milhões

Apesar do aumento da população, este crescimento está a desacelerar e já existem mais pessoas com 65 ou mais anos do que crianças abaixo dos cinco anos. Dados do novo relatório da ONU sobe a população mundial.

Pinterest Google+

O novo relatório da Organização das Nações Unidas, ‘2019 Revisão das Perspetivas da População Mundial’ dá conta de que em 2050 seremos 9,7 mil milhões de humanos na Terra e em 2100 11 mil milhões. Contudo, a taxa de crescimento está a desacelerar e a taxa de fertilidade vai continuar a cair. Em 2018, pela primeira vez, existiam mais pessoas com 65 ou mais anos do que crianças com menos de cinco anos.

 

Mais número indicam que a população mundial aumentar mais dois mil milhões de pessoas nos próximos 30 anos, passando assim dos atuais 7,7 mil milhões para 9,7 mil milhões em 2050, informa o relatório lançado nesta segunda-feira, que indica que o pico se deverá atingir no final do século.

 

VEJA TAMBÉM: THE WORLD PIECE: A TATUAGEM QUE UNE 61 PESSOAS DE PAÍSES DIFERENTES

 

Segundo o relatório, a população mundial está a envelhecer devido ao aumento da expectativa de vida e à queda dos níveis de fertilidade. Mas as taxas de crescimento variam muito entre regiões. Entre 2019 e 2050, nove países representarão mais da metade do crescimento projetado da população mundial: Índia, Nigéria, Paquistão, República Democrática do Congo, Etiópia, Tanzânia, Indonésia, Egito e Estados Unidos. Por volta de 2027, a Índia deve superar a China como o país mais populoso do mundo. A população da África Subsaariana deve dobrar até 2050.

 

A taxa global de fertilidade caiu de 3,2 nascimentos por mulher em 1990 para 2,5 em 2019. A tendência de queda de natalidade deve continuar para 2,2 nascimentos por mulher em 2050. É necessário um nível de fecundidade de 2,1 nascimentos por mulher para evitar o declínio da população, informa a ONU.

 

VEJA TAMBÉM: SAIBA O QUE OS OCEANOS REPRESENTAM PARA A VIDA NA TERRA

A expectativa de vida global aumentou de 64,2 anos em 1990 para 72,6 anos em 2019 e deve aumentar para 77,1 anos em 2050. Apesar dos progressos, permanecem grandes lacunas entre os países. Nos países mais pobres, as pessoas ainda vivem menos 7,4 anos do que a média global. Em grande parte, essa situação deve-se aos níveis persistentemente elevados de mortalidade infantil e materna, bem como à violência, aos conflitos e ao impacto contínuo da epidemia do HIV.

 

A população mundial está a envelhecer, com a faixa etária dos 65 anos ou mais a crescer mais rapidamente. Em 2018, pela primeira vez na história, pessoas com 65 anos ou mais superaram em número as crianças menores de cinco anos no mundo. Até 2050, uma em cada seis pessoas no mundo terá mais de 65 anos, cerca de 16%. Em 2019, esse valor é de 9%.

 

VEJA TAMBÉM: 90% DA POPULAÇÃO MUNDIAL RESPIRA AR POLUÍDO

 

 

No Norte da África e a Ásia Ocidental, Ásia Central e do Sul, Leste e Sudeste da Ásia e América Latina e Caraíbas, a proporção da população com 65 anos ou mais deve duplicar até 2050. No mesmo período, uma em cada quatro pessoas que vivem na Europa e na América do Norte pode ter 65 anos ou mais. Prevê-se que o número de pessoas com 80 anos ou mais triplicará, subindo de 143 milhões para 426 milhões.

 

Segundo a pesquisa, a descida da população em idade ativa está a pressionar os sistemas de proteção social. A taxa de apoio potencial, uma medida que compara o número de pessoas em idade de trabalho com aqueles com mais de 65 anos, está em queda em todo o mundo, informa a ONU.

Artigo anterior

Afinal o sushi é ou não saudável?

Próximo artigo

Verão e Ayurveda: dicas para melhor viver a estação Pitta