Home»VIDA»ALTERNATIVAS»Eclíptica

Eclíptica

Os movimentos do sol e a sua relação com a astrologia

Pinterest Google+
PUB

O Sol a cada dia caminha num grau zodiacal em sentido anti-horário, e dá uma volta completa em torno da Terra a cada ano. A deslocação no zodíaco durante um ano descreve um círculo máximo no fundo estelar chamado Eclíptica. O plano da Eclíptica tem uma inclinação de 23º47’ em relação ao plano do equador celeste, chamada obliquidade da Eclíptica.

A Eclíptica e o equador celeste cruzam-se em dois pontos chamados equinócios. Quando o Sol se encontra no equinócio da primavera para o hemisfério norte, define o ponto vernal, o ponto zero de Carneiro que costuma definir o ponto zero do zodíaco tropical (estações do ano) dos signos.

 

Leis de Kepler

Primeira lei de Kepler: lei das órbitas elípticas

“O planeta em órbita em torno do Sol descreve uma elipse em que o Sol ocupa um dos focos.”

Esta lei definiu que as órbitas não eram circunferências, como se supunha até então, mas sim elipses.

 

Segunda lei de Kepler: lei das áreas

 “A linha que liga o planeta ao Sol varre áreas iguais em tempos iguais.”

Esta lei determina que os planetas se movem com velocidades diferentes, dependendo da distância a que estão do Sol. Periélio é o ponto mais próximo do Sol, onde o planeta orbita mais rapidamente. Afélio é o ponto mais afastado do Sol, onde o planeta move-se mais lentamente.

 

Terceira lei de Kepler: lei dos períodos

Os quadrados dos períodos de translação dos planetas são proporcionais aos cubos dos semieixos maiores de suas órbitas.”

Esta lei indica que existe uma relação entre a distância do planeta e o período de translação (tempo que ele demora para completar uma revolução em torno do Sol). Portanto, quanto mais distante estiver do Sol mais tempo levará para completar sua volta em torno desta estrela.

A distância de um dos focos até o objeto, mais a distância do objeto até o outro foco, é sempre igual não importando a localização do objeto ao longo da elipse.

 

Faixa zodiacal

Os planetas giram em torno do Sol numa faixa de 17º em relação ao plano da órbita da Terra em torno do Sol.

É interessante observar que realmente todos planetas movimentam-se mais ou menos no mesmo plano.

Assim, visto desde a Terra, vamos poder acompanhar os planetas numa faixa de no máximo 17º em torno da eclíptica (trajetória aparente do Sol vista desde a Terra).

A faixa que acompanha a eclíptica, com uma largura de dezassete graus, 8º5’ ao norte e 8º5’ ao sul, chama-se faixa zodiacal.

 

Os planetas trans-neptunianos, chamados na atualidade planetas anões entre os quais se encontra Plutão, já têm inclinações orbitais superiores a 8º. Plutão tem um plano de órbita com uma inclinação de 17º.

Os planetas de Mercúrio até Neptuno giram em torno do Sol numa faixa de 17°, 8°50’ ao Norte e 8°50’ ao Sul do plano da órbita da Terra em torno do Sol.

O planeta com máxima inclinação orbital é Mercúrio com 7°, segue em ordem decrescente: Vênus com 3°23’, Saturno com 2°29’, Marte com 1º51’, Neptuno com 1°46’, Júpiter com 1°18’ (dos planetas visíveis, Júpiter é o que tem a órbita mais perto da eclíptica) e por último o excêntrico Úrano dessa vez destacando-se com a mínima inclinação orbital: 0,77° (46’).

Assim, desde a Terra, vamos poder acompanhar os planetas numa faixa de no máximo 17º entorno da eclíptica (trajetória aparente do Sol vista desde a Terra).

 

Horas na esfera, relacionando com o mapa astrológico

Costuma chamar-se Meridiano ao círculo horário (que passa pelos pólos N-S) que passa pelo Zênite e pelo Nadir.

Por passar pelos pólos Norte-Sul, cruza perpendicularmente (é vertical) o Equador celeste, por passar pelo Zénite, cruza perpendicularmente (é vertical) o Horizonte.

O Ponto Norte sobre o plano do Horizonte determina-se pela intersecção do Meridiano com o plano do Horizonte. O Ponto Sul é o seu oposto.

O círculo meridiano divide a esfera celeste em dois hemisférios: o oriental (leste) e o ocidental (oeste).

 

 Eclíptica

Aqui podemos analisar o movimento aparente do Sol em 24 horas, relacioná-lo com as áreas de vida e a determinação do ascendente.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Artigo anterior

Tendências de bem-estar para 2018: do poder do silêncio à arquitetura renovada

Próximo artigo

40% das pessoas ficam menos de 30 minutos em pé por dia no escritório