Home»VIDA»CARREIRA»É workaholic? Conheça os sinais de alerta

É workaholic? Conheça os sinais de alerta

Não sai para almoçar com os colegas, fica para lá da hora no escritório e passa os jantares de família a responder a emails? Pode estar viciado no seu trabalho.

Pinterest Google+
PUB

O vício no trabalho tem sido uma preocupação crescente na sociedade contemporânea, onde a busca incessante pela produtividade muitas vezes ultrapassa limites saudáveis. E

 

O workaholism refere-se a uma compulsão descontrolada pelo trabalho, onde o indivíduo dedica uma quantidade excessiva de tempo e energia às atividades laborais, muitas vezes em detrimento da saúde física, mental e social.

 

O desejo constante de sucesso e a busca pela perfeição no trabalho podem levar a uma dedicação desproporcional, criando um ciclo vicioso difícil de quebrar.

 

VEJA TAMBÉM: O VALOR DO SALÁRIO EMOCIONAL

 

Um estudo científico conduzido pelo Departamento de Psicologia da Universidade de Harvard, intitulado “Workaholism and its Detrimental Effects on Well-being”, examinou os efeitos do workaholism numa amostra diversificada de profissionais ao longo de um período de cinco anos.

 

Os resultados destacam preocupações significativas sobre os impactos negativos em várias dimensões da vida.

 

Efeitos negativos identificados

Saúde física

O estudo revelou uma correlação direta entre o workaholism e problemas de saúde física, incluindo aumento do estresse, distúrbios do sono e uma maior incidência de doenças cardiovasculares. A falta de tempo para cuidados pessoais e atividades físicas de lazer contribui para esses problemas.

 

Saúde mental

Indivíduos identificados como workaholics apresentaram níveis mais elevados de estresse, ansiedade e depressão. A constante pressão para atingir metas elevadas e a autoexigência exacerbada são fatores contribuintes para o declínio da saúde mental.

 

Relacionamentos interpessoais

A pesquisa indicou que o workaholism impacta adversamente os relacionamentos pessoais. A falta de tempo para familiares e amigos pode resultar em isolamento social, levando a conflitos interpessoais e, em alguns casos, até mesmo ao rompimento de relacionamentos.

 

Declínio da produtividade a longo prazo

Surpreendentemente, o estudo observou que, apesar da aparente dedicação ao trabalho, indivíduos com altos níveis de workaholism experimentaram um declínio na produtividade a longo prazo. A exaustão física e mental resultante pode levar a erros no trabalho e a uma diminuição significativa na qualidade do desempenho.

 

É imperativo que os indivíduos, organizações e sociedade como um todo reconheçam a importância de manter um equilíbrio saudável entre o trabalho e a vida pessoal para garantir um bem-estar global sustentável.

 

Sinais de que está viciado no trabalho

Consulte a sua agenda

Na sua agenda, apenas tem notas para reuniões, almoços de trabalho, encontros com clientes, etc. Não há referências a copos com amigos ou jantares de família ou aniversários.

 

Os mais próximos queixam-se

Os seus amigos e familiares queixam-se constantemente da sua ausência? Então se calhar é tempo de parar para avaliar se, de facto, não está a descurar as suas relações pessoais. Lembre-se que trabalhos vêm e vão, mas família e amigos são para toda a vida.

 

Não conhece as palavras “fim de semana”

Mesmo ao sábado e domingo não consegue afastar-se do computador ou do smartphone? E é muito frequente passar as manhãs ou tardes de sábado no escritório? Se para si todos os dias são iguais, alguma coisa está errada.

 

Tema de conversa

Se mesmo quando está com amigos e família passa a maior parte do tempo a falar de trabalho, ou porque lhe perguntam como está a correr, por cortesia, ou por iniciativa sua, então está na hora de arranjar outros interesses e criar histórias para contar.

 

Não sabe dos seus amigos

Faça um mapa mental dos seus amigos mais chegados e tente lembrar-se da última vez que estiveram juntos. Tente ainda perceber se sabe o que se passa na vida deles. Se a resposta é negativa, provavelmente tem de dar-lhes mais atenção.

 

Dorme mal

Tem dificuldade em adormecer, sonha constantemente com o trabalho e acorda antes do despertador, a pensar que se calhar podia começar a trabalhar um bocado mais cedo.

 

Stress

Sente constantemente que as horas do dia não chegam para tudo o que tem de fazer e que podia aproveitar melhor o seu tempo. A sua lista de coisas para fazer nunca está concluída e, todas as noites, tem uma sensação de insatisfação em vez de conquista.

 

Felicidade

É a trabalhar que se sente mais feliz. Não consegue sentir o mesmo nível de satisfação em momentos de lazer, mesmo estando rodeado daqueles que ama.

 

 

 

Artigo anterior

Quando a urina em excesso se torna um problema

Próximo artigo

Eslováquia utiliza filtros de cigarros para asfaltar estradas