Home»ATUALIDADE»ENTREVISTAS»É suficiente viver com o que a natureza nos dá?

É suficiente viver com o que a natureza nos dá?

O Programa Ambiental das Nações Unidas prevê que sejamos 9,1 biliões de pessoas em 2050, e que o apetite ocidental por carne e laticínios se torne insustentável. A alimentação vegan é, muitas vezes, um bicho-de-sete-cabeças para quem tem uma alimentação dita tradicional. A nutricionista Magda Roma prepara-se para lançar um livro com receitas vegetarianas e veganas fáceis de preparar, e desmistifica-nos já algumas dúvidas.

Pinterest Google+
PUB

 

Antes de mais, qual é a diferença entre a alimentação vegetariana e a vegana?

A alimentação vegetariana e vegana têm em comum o não consumo de animais mortos, mas a alimentação vegana também não consome alimentos provenientes de animais, tais como, ovos, lácteos e mel. Ser vegano é mais do que a alimentação, é um conceito de vida, pois integra outras situações, tais como a não utilização de vestiário de origem animal (peles, por exemplo), são contra atividades que utilizam animais para entretenimento humano e não consomem nenhum produto químico/cosmético que tenha sido testado em animais ou que tenha na sua constituição ingredientes de origem animal.

 

O discurso vegano defende que esta é a alimentação mais ética de todas. O que significa isto?

Na minha opinião, é a mais ética porque além de ser a mais saudável para o corpo humano é ainda a mais saudável para planeta. O maior poluente do planeta é a produção animal para consumo, quer dos lácteos, ovos e carnes. A desmatação para plantação de cereais ou leguminosas para consumo animal está a matar o planeta e a roubar a casa de muitos animais. Além das desmatações, a utilização de químicos cada vez mais agressivos para controlar pragas está a eliminar os insetos e, sem estes, o ecossistema do planeta estará desequilibrado podendo comprometer até a nossa existência. Para o organismo, tudo o que a natureza nos dá é suficiente para a nossa saúde e tem vindo a ser provado cientificamente que o consumo de produtos de origem animal está associado a muitas patologias, e muitas delas estão a ceifar vidas.

 

Veja a galeria: Grandes mitos na alimentação

 

Enquanto profissional de nutrição, é talvez a pessoa mais indicada para responder a esta questão: é possível ser saudável tendo uma alimentação vegana?

Com certeza, se assim não fosse eu não praticaria essa alimentação. Não há nada que na natureza nos falte. Se olharmos para trás, para a nossa evolução, verificamos que durante vários milhões de anos a alimentação do ser humano era limitada a rebentos, vegetais, legumes e fruta. Com a descoberta do fogo, o ser humano descobriu que poderia confecionar certos alimentos e foi dessa forma que começamos a domesticar animais para nosso consumo, pois até então não havia lugar ao consumo de animais. Estima-se que a vitamina B12 seja a única vitamina que não é fornecida pelo reino vegetal de forma útil para o nosso organismo. Existe vitamina B12 mas esta não atua no nosso organismo da forma necessária, no entanto, se na evolução durante milhões de anos não consumíamos animais e estamos cá… Mas, os estudos confirmam que a vitamina B12 é essencial e está depositada nos alimentos de origem animal. Podemos, contudo, consumir através de suplementos alimentares, não havendo necessidade de consumir animais por esse mesmo motivo.

 

Que tipo de benefícios podem ser encontrados neste tipo de alimentação?

O equilíbrio do meio interno do nosso organismo. Em regra, os alimentos de origem vegetal não provocam inflamação, são ricos em vitaminas, minerais, fibras, bem como nos macronutrientes que consumimos, tais como hidratos de carbono (normalmente complexos), proteínas e gorduras (insaturadas e benéficas para o organismo). Além disso, hoje começamos já a ouvir falar dos fitonutrientes que são nutrientes que têm ações além das que já conhecemos, ações como anti proliferativas de células oncológicas, antioxidantes, anti tumorais, antibacterianas, anti histamínicas etc… Falo por exemplo do licopeno, polifenois, alicinas, quercetinas, etc.

Artigo anterior

Barbie expande linha de bonecas adicionando três novos tipos de corpos

Próximo artigo

Já sabe o que vai dar à sua cara metade?