Home»ATUALIDADE»ESPECIALISTAS»E se não tivesse vergonha de verbalizar o prazer que sente?

E se não tivesse vergonha de verbalizar o prazer que sente?

Pinterest Google+

Ter a capacidade de manifestar de forma vocal o que se sente é um privilegio ainda pouco usado quando se trata de sexo.

 

Desde sempre se associaram os gritos e gemidos a quem é “sem vergonha,” mas neste caso não ter vergonha assume um papel negativo.

 

Quem nunca ouviu a história de alguém que tem uma vizinha “profundamente maluca”? Curiosamente, é raro ouvir falar das manifestações de um vizinho! Por um lado, porque os homens têm menos tendência para se manifestar e, por outro, para a maioria, não teria o mesmo interesse comentar os gritos de um homem. Com medo destes e de outros comentários, regra geral, há um grande cuidado em não deixar que os outros percebam o que se passa. “O que vão pensar os vizinhos?”, “Como vou encara-los no elevador?”. Pois os vizinhos vão pensar o mesmo que você pensa.

 

E no que pensa você quando ouve alguém a ter relações sexuais e a vocalizar o que está a sentir? Analise os seus pensamentos e perceba qual a sua relação com a vocalização de sensações eróticas e sexuais.

 

É claro que não estou a defender o que fazem alguns vizinhos depois das 23h da noite. Bem sei que o desejo sexual não tem hora, mas o respeito pelos vizinhos não pode ser esquecido! Por muito estimulante e libertador que seja vocalizar o prazer, vivemos em sociedade e da mesma maneira que não podemos nem devemos fazer barulho depois das 23h também há que respeitar a regra e ser mais comedido em determinadas alturas.

 

De igual modo a privacidade de um casal pode ter algumas limitações quando tem outras pessoas a morar em casa. Não é agradável acordar os filhos. Seria uma chatice ter de voltar a adormece-los. Sim, leu bem! Só porque os teria de voltar a adormecer. Os filhos devem saber que os pais têm relações sexuais. Conforme a idade da criança, assim se deve explicar de forma diferente o que é o sexo e o papel que tem no relacionamento dos pais. Não é bom que as crianças crescem a acreditar que os pais são assexuados. Já pensou nos seus próprios pais a tentem relações sexuais? Qual a sensação que lhe causa? E porque será que para a maioria isso lhe causa repulsa? Será o sexo uma coisa da qual devemos ter vergonha? Uma coisa suja? Aproveite mais uma vez para descobrir a verdadeira relação que tem com a sexualidade.

Artigo anterior

O seu protetor solar tem SPF suficiente?

Próximo artigo

Looks para festivais de verão