Home»AMOR»RELAÇÕES»E o trabalho que dá organizar um casamento?

E o trabalho que dá organizar um casamento?

Segundo os últimos dados do PORDATA (2015), em Portugal, celebraram-se 32.393 casamentos, um número maior do que o registado no ano anterior. Apesar de se falar muito de divórcios, a verdade é que muitas pessoas continuam a acreditar na formalização do amor através do matrimónio. Mas se o amor nem sempre é um mar de rosas, organizar um casamento não o é de todo. No meio de tantas decisões a tomar, a pressão pode ser esmagadora.

Pinterest Google+
PUB

Matilde e Miguel, ambos com 34 anos, conheceram o amor e querem jurá-lo para sempre perante a igreja. Entre todas as decisões a serem tomadas para planear um casamento, a primeira de todas – o pedido – foi feito numa viagem a Bruges, num passeio de gôndola pelos canais de Ghent «num cenário digno de um conto de fadas», conta Matilde.

 

O casal optou por não recorrer a ajuda profissional para organizar aquele que será provavelmente o dia mais feliz das suas vidas enquanto casal. Fora o apoio familiar, optaram apenas por contar com o auxílio da equipa do local onde vão fazer o copo de água para não terem de se preocupar com essa parte.

 

Veja a galeria: Bolos de casamento pouco ou nada tradicionais

 

No meio de tanta coisa a ser pensada, pode ser difícil prioritizar as etapas. Atualmente, os noivos começam a tratar do casamento com mais tempo de antecedência e é consensual entre noivos e empresas organizadoras de eventos de que o primeiro passo é realmente definir a data e a escolha do espaço. «A partir daí, tudo se faz com calma e começa-se a criar o conceito do casamento», partilha Rita Vilarinho, wedding planner da Outlux,  uma empresa organizadora de casamentos low-cost.

 

Veja a galeria: O vestido ideal para levar a um casamento

 

Pela experiência, Rita Vilarinho nota que as pessoas já não se prendem tanto a um ‘tema’ de casamento, mas sim a um conceito (campestre, moderno, clássico…). No caso da dupla ‘M&M’ o tema vai ser a banda sonora do casal e, por coincidência, vão-se casar no dia internacional da música. O casamento terá um dj que promete animar a pista de dança «até às tantas», vão ter uma largada de balões durante o cocktail e, quanto à ementa do copo de água, o casal diz que não será nada fora do comum, mas optaram por fugir ao tradicional bolo de casamento e o deles será um croquembouche.

 

Quando se fala de casamento, é impossível não mencionar os gastos que o dia implica, e ter uma festa digna de um conto de fadas pode ser um grande rombo em qualquer carteira. Primeiro, é crucial delinear o orçamento, fazer uma lista aproximada dos convidados e dos serviços essenciais para o casamento. Com pouco é possível fazer muito e, ainda que os valores sejam reduzidos, existe um leque vasto de ideias giras que podem marcar a diferença neste dia tão especial.

Artigo anterior

Os melhores resorts ‘All-Inclusive’ do mundo

Próximo artigo

Um médico na cozinha…