Home»GLAMOUR»BELEZA»E assim nasceu o perfume…

E assim nasceu o perfume…

Foi há mais de 300 anos que um perfumista italiano inventou o perfume moderno, uma fragrância suave à base de álcool que permite combinar vários aromas e perdura na pele. A ‘água de Colónia’ desde logo conquistou reis e rainhas, príncipes e princesas, e ainda hoje se produz com a mesma receita na mesma fábrica, em Colónia.

Pinterest Google+

Sabia que a ‘Eau de Cologne’ foi inventada em Colónia, na Alemanha, e não em Paris ou noutra cidade francesa? Tudo começou no início do século XVIII, mais concretamente em 1709, quando o italiano Giovanni Farina (1685-1766), emigrado nesta cidade, tornou Colónia internacionalmente conhecida dando o seu nome à sua criação.

 

E que invenção foi essa? Ao juntar álcool a essências naturais fez com que as fragrâncias perdurassem mais tempo na pele e tornou ainda possível juntar vários aromas, permitindo um leque infinito de conjugações. Et voilá, estava criado o perfume moderno, o primeiro à base de álcool.

 

«O meu perfume relembra-me as manhãs de primavera em Itália depois da chuva. Laranjas, toranjas, limões, bergamota, cedro, limas, flores e ervas aromáticas. Este perfume refresca-me, fortalece o meu espírito e reaviva a minha fantasia» – foi assim que Farina descreveu a sua invenção numa carta a um amigo, revela o Museu Farina, localizado em Colónia, na Alemanha.

 

VEJA TAMBÉM: QUER VOAR MAIS BARATO EM 2018? VEJA COMO FAZER

 

E se está a questionar a razão pela qual este italiano radicado na Alemanha deu um nome francês à sua invenção, a explicação é porque, na altura, o idioma usado no comércio e falado pelos nobres era o francês. E este era um produto acessível apenas a quem tinha muito dinheiro. Conta o museu que Napoleão usava um frasco por dia, e cada um custava seis meses de ordenado médio. Farina fornecia todas as cortes europeias, incluindo a portuguesa. E relata a história do museu que dois dos seus mais fieis clientes eram Dom João VI, rei de Portugal, e Dom Pedro I, imperador do Brasil.

 

Em cada frasco de perfume vendido, a Casa Farina entrega um folheto onde explica brevemente a sua história, para que perpetue no tempo. E lá vem uma longa lista de clientes famosos, desde as casas reais aos mais nobres e influentes artistas de várias épocas. Também Mozart, Voltaire, Marlene Dietrich, inúmeros príncipes e princesas, reis e rainhas, e até já no século XX a princesa Diana e Bill Clinton se renderam aos aromas centenários da mais antiga fábrica de perfumes do mundo.

Artigo anterior

Sempre em stress? Descubra se está em contacto com as suas emoções

Próximo artigo

Síndrome de Asperger: dificuldade de relacionamento pode ser um sinal de alarme