Home»S-Vida»Doentes oncológicos em isolamento: oito conselhos para evitar o sedentarismo

Doentes oncológicos em isolamento: oito conselhos para evitar o sedentarismo

A Associação de Investigação e Cuidados de Suporte em Oncologia chama a atenção aos doentes oncológicos para a importância de realizar atividade física durante o tempo de isolamento. Em sobreviventes de cancro, a evidência sugere a realização de três sessões de atividade aeróbia moderada ou vigorosa por semana com a duração de 30 a 60 minutos, que pode ser combinada com duas a três sessões por semana de exercícios de força.

Pinterest Google+
PUB

A AICSO deixa oito dicas que pretendem ajudar os doentes oncológicos a manter os hábitos de exercício físico e a reduzir os níveis de sedentarismo, que podem aumentar devido ao confinamento domiciliário causado pela pandemia de Covid-19.

 

«A situação de isolamento contribui facilmente para uma diminuição da atividade física e aumento do sedentarismo, ambos fatores de risco de patologias cardiovasculares que agravam o prognóstico de doentes oncológicos. Apesar de a posologia não ser de tão fácil controlo à distância e com recurso a materiais caseiros, as novas tecnologias permitem a condução e supervisão de sessões de exercício. Para além dos benefícios a nível físico, também as componentes psicológica e emocional, seguramente mais fragilizadas nesta fase, podem beneficiar da prática regular de exercício físico», explica Ana Joaquim, médica e presidente da AICSO.

 

Para que não deixem que o sedentarismo tome conta das suas vidas, a AICSO deixa abaixo oito dicas para ajudar os doentes oncológicos e cuidadores a implementar hábitos de atividade física em casa:

1 – Evite permanecer mais de 30 minutos na posição de sentado, reclinado ou deitado, durante os períodos que estiver acordado

 

2 – Levante-se e caminhe pela casa enquanto conversa ao telemóvel, por exemplo. Procure alternar posições (sentado ou em pé) enquanto realiza tarefas como a leitura, por exemplo.

 

3 – Participe nas tarefas domésticas como estender a roupa ou colocar a roupa na lavandaria, lave a louça, faça as camas ou vá levar o lixo. Estas são tarefas que o obrigam a exercitar algumas partes do corpo.

 

4 – Deixe o telefone, comando ou equipamentos eletrónicos em pontos distantes para o obrigar a levantar-se.

 

5 – Reparta a atividade aeróbia de intensidade moderada em períodos de 10 a 20 minutos entre 2 a 3 vezes por dia. Se optar por caminhar no exterior mantenha a distância de segurança dos restantes caminhantes.

 

6 – Escolha as atividades que pode realizar dentro de casa como dançar, subir e descer escadas ou andar em passo acelerado.

 

7 – Para manter a aptidão muscular pode realizar exercícios com recurso a pesos improvisados, como garrafas de água ou embalagens de arroz. Pode ver alguns exemplos no site da AICSO (https://aicso.pt/).

 

8 – Para se manter ativo poderá ainda envolver-se em atividades domésticas, brincar ou realizar jogos ativos com as crianças ou realizar atividades no exterior como por exemplo tratar do jardim ou bricolage.

 

«Em sobreviventes de cancro, a evidência sugere a realização de três sessões de atividade aeróbia moderada ou vigorosa por semana com a duração de 30 a 60 minutos, que pode ser combinada com duas a três sessões por semana de exercícios de força. A atividade permite melhorar os sintomas de fadiga, ansiedade e depressão, assim como os níveis de aptidão física e qualidade de vida», explica Alberto Alves, professor e doutorado em atividade física e saúde.

 

É essencial que, em caso de dúvidas ou de possíveis complicações, o doente oncológico tenha o contacto das equipas que o acompanham.

 

 

Artigo anterior

Os tipos de queijo mais saudáveis

Próximo artigo

Doenças respiratórias: as soluções da homeopatia