Home»ATUALIDADE»NOTÍCIAS»Distúrbios da tiroide afetam um milhão de portugueses, mas muitos continuam por diagnosticar

Distúrbios da tiroide afetam um milhão de portugueses, mas muitos continuam por diagnosticar

No Dia Mundial da Tiroide, assinalado a 25 de maio, especialistas alertam para a importância de reconhecer os sintomas, uma vez que uma sondagem internacional revela que quase um terço das mulheres não consegue explicar o que é um distúrbio da tiroide.

Pinterest Google+
PUB

Em Portugal, os distúrbios da tiroide afetam cerca de um milhão de portugueses, ou seja, cerca de 10% da população, estando grande parte ainda por diagnosticar. A nível global, 200 milhões de pessoas no mundo sofrem de alterações na tiroide, mas em alguns países quase 50% das pessoas permanecem não diagnosticadas. Os distúrbios da tiroide são 10 vezes mais comuns nas mulheres, estimando-se que, aos 60 anos, cerca de 17% das mulheres vão apresentar hipotiroidismo, o tipo mais comum da doença da tiroide.

 

Se os desequilíbrios hormonais da tiroide não são diagnosticados e tratados, podem provocar efeitos prejudiciais na saúde e bem-estar da pessoa. Por conseguinte, é fundamental que as pessoas estejam cientes dos sintomas e que, caso estes ocorram, não sejam ignorados.

 

“Não é você: é a sua tiroide” é, assim, o tema central da campanha global de sensibilização da 9ª edição da Semana Internacional da Tiroide, que decorre até 28 de maio, e do Dia Mundial da Tiroide, assinalado a 25 de maio, e que destaca as semelhanças que existem entre os sintomas dos distúrbios da tiroide com os efeitos do estilo de vida acelerado dos nossos dias.

 

tiroide

 

Esta campanha baseia-se nos resultados de um inquérito internacional, apoiado pela Federação Internacional da Tiroide e pela Merck, que revela que muitas mulheres se culpam a si próprias, e às escolhas relativas ao seu estilo de vida, com sintomas como alterações de peso, irritabilidade, ansiedade, insónias e fadiga, não compreendendo que uma doença da tiroide pode ser a causa subjacente.

 

«O desconhecimento dos sintomas leva a que muitas mulheres culpem o estilo de vida acelerado e com cada vez menos tempo para descansar a motivos como como fadiga, depressão, ansiedade e irritabilidade, memória enfraquecida, intolerância ao frio/calor, variações de peso, falta de motivação e de energia, perturbações do sono, cabelo e unhas fracos e quebradiços, queda de cabelo, pele seca, escamosa e pálida, períodos menstruais anormais ou até mesmo dificuldade em conseguir engravidar, não percebendo que um distúrbio da tiroide pode ser a causa subjacente. Daí que promover o conhecimento sobre a doença é fundamental para que os sintomas não sejam negligenciados e haja uma diminuição de casos por diagnosticar», alerta a médica endocrinologista, Maria João Oliveira, membro do Grupo de Estudo da Tiroide da Sociedade Portuguesa de Endocrinologia, Diabetes e Metabolismo (SPEDM).

Artigo anterior

É hora de liderar!

Próximo artigo

Joana Duarte lança linha de fitness